Andrés e opositor admitem falta de credibilidade do Corinthians

Rodrigo Mattos

Do UOL, em São Paulo

  • TV UOL

A falta de credibilidade é o principal problema para que o Corinthians aumente suas receitas na atualidade. Em um debate na consultoria BDO nesta terça-feira (30), os candidatos à presidência Andrés Sanchez e Felipe Ezabella concordaram a respeito deste entrave para a melhora das finanças do clube alvinegro.

"O grande problema não é a dívida em si. O problema é não ter receita para pagar e em algum momento essa dívida te janta", declarou Ezabella. "Não pode depender só de transferência de jogador e de TV. Precisa haver patrocínio e licenciamento, mas para isso precisa ter credibilidade."

Andrés endossou o discurso do rival nas eleições do próximo sábado (3).

"Nos últimos anos o Corinthians pecou em credibilidade e receita. Quando saí, a receita era de R$ 350 milhões e pecamos para aumentar", declarou o ex-presidente corintiano, cujos sucessores foram todos seus aliados.

Apesar de estarem de acordo quanto à questão da falta de credibilidade, os adversários na eleição discordam a respeito da relação do Corinthians com a Odebrecht na discussão do estádio em Itaquera. Enquanto Andrés defendeu que deve haver uma negociação entre as duas partes, Ezabella quer tirar a empreiteira de dentro do clube.

"Felipe diz que não quer negociar com a Odebrecht, então é só dar um cheque de R$ 300 milhões", disse Andrés, se referindo à dívida do clube com a empreiteira. Ezabella, por sua vez, voltou a bater na tecla da credibilidade.

 "Acho que a Odebrecht é um mal para o clube, é ruim para a credibilidade", afirmou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos