Corinthians votou contra VAR por falta de padrões técnicos, afirma Andrés

Dassler Marques e Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • MARCELO D. SANTS/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

    Sanchez foi eleito no último sábado no Corinthians

    Sanchez foi eleito no último sábado no Corinthians

Entre os 12 clubes que votaram contra a implementação do árbitro de vídeo no Campeonato Brasileiro de 2018, o Corinthians tomou sua decisão por não se sentir seguro quanto os padrões utilizados. É o que afirmou nesta terça-feira o novo presidente corintiano, Andrés Sanchez, que já assumiu o cargo e, em Conselho Técnico da CBF, optou por não dar o 'sim'. 

"O Corinthians não votou por causa dos valores, votou contra porque nem própria a IFAB (departamento da Fifa) e a Fifa têm padrões e definições de como seria o VAR. Em todo lugar tem teste. Aqui, vai começar na Copa do Brasil e vamos aguardar uma definição. Você não sabe se bandeira levanta ou não levanta...então, para não virar dois jogos em um só [preferiu votar contra]. Ainda não tem um procedimento de como seria para todo mundo", explicou. 

Andrés, além de se dizer favorável à adoção da medida para 2019, declarou que o árbitro de vídeo não costuma ser garantia de decisões corretas, ao menos em sua visão. "Todo mundo vai reclamar em erro no futebol brasileiro. Teve jogo com vídeo que se reclamou também. Tem lance que está em uma bancada de cinco ou seis jornalistas e metade fala que foi e metade não foi. O erro grotesco seria consertado. Mas vamos nos preparar, estudar esse ano, a coisa se afirmar mais, com regras claras, poder colocar em prática ano que vem", declarou. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos