Topo

Futebol


Vanderlei de olho em Copa e "Santos solidário" evitam dependência a Gabigol

false
Vanderlei fez grandes defesas em vitória do Santos contra o Estudiantes na Argentina

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

2018-04-06T04:00:00

06/04/2018 04h00

A vitória do Santos nesta quinta-feira (6) diante do Estudiantes, na Argentina, pela terceira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América, rendeu à equipe do técnico Jair Ventura mais do que três pontos e folga na classificação para a próxima fase da competição.

O triunfo serviu, também, para motivar ainda mais o goleiro Vanderlei e dar mostras de um “Santos solidário”, cada vez menos dependente do atacante Gabriel Barbosa, principal contratação para a temporada.

Vanderlei teve atuação decisiva para o triunfo por 1 a 0 e externou que ainda segue sonhando com uma convocação para a próxima Copa do Mundo. No confronto, o goleiro realizou dez defesas, sendo cinco delas consideradas difíceis de acordo com números do Footstats.

Apesar de nunca ter sido lembrado pelo técnico Tite, o camisa 1 santista está motivado para tentar cavar um espaço na seleção. Das três vagas reservadas para goleiros, apenas uma está aberta uma vez que Alisson, da Roma-ITA, e Ederson, do Manchester City-ING, estão garantidos.

“Sempre falo que o futuro a Deus pertence, devemos fazer o nosso melhor no clube sempre, não depende de nós.  Tem bons profissionais lá que procuram fazer o melhor pela seleção e pelo nosso país, preciso ter tranquilidade, se tiver que acontecer ficaremos felizes. Se não, a vida segue, também, vamos torcer para os profissionais que estarão trabalhando na Copa do Mundo”, disse Vanderlei.

O jogador recebe lobby de companheiros e treinadores do Santos por uma convocação desde o último ano, quando faturou premiações individuais e teve uma das melhores temporadas de sua carreira.

O resultado construído em solo argentino também serviu para consolidar uma concepção de jogo menos dependente de Gabigol.

Gabriel chegou ao clube no início de fevereiro e virou a principal referência da equipe, marcando quatro gols em suas quatro primeiras partidas após o retorno, a principal delas foi a atuação decisiva na vitória por 1 a 0 no clássico diante do São Paulo, pela fase de classificação do Paulista.

O jogador, no entanto, teve o início avassalador esfriado por lesões e, principalmente, suspensões que obrigaram Jair a repensar a equipe. Sem ele, o Santos ficou três partidas consecutivas sem vencer. Gabriel voltou, mas secou quanto aos gols, já são cinco partidas sem marcar.

O Santos viu no período o amadurecimento de Eduardo Sasha, principal peça ofensiva neste início de temporada, mas também de jovens como Rodrygo e Arthur Gomes.

Mais uma vez sem Gabriel, suspenso pela expulsão na vitória contra o Nacional-URU, na rodada anterior, Arthur foi decisivo diante do Estudiantes, marcando o gol da vitória. A jogada foi construída em contra-ataque rápido, marcada por uma tabela entre os atacantes.

Rodrygo também teve atuação importante contra os uruguaios, desafogando o Santos com um gol enquanto a equipe vencia por 1 a 0. Além disso, deixou o seu primeiro gol em clássicos no segundo jogo da semifinal contra o Palmeiras. A equipe, portanto, descentralizou o jogo em seu principal jogador.

Entre os atacantes, Sasha é o artilheiro com seis gols na temporada e Gabriel o vice, com quatro, empatado com Arthur Gomes e Rodrygo. Dos 23 gols marcados pelo Santos na temporada, somente dois não saíram de sua linha de frente, marcados pelo zagueiro Lucas Veríssimo e pelo volante Renato.

Pela Libertadores, o Santos volta a campo contra o próprio Estudiantes, na Vila Belmiro, no próximo dia 24. Antes disso, a equipe santista estreia no Campeonato Brasileiro, diante do Ceará, no dia 14, na Vila Belmiro.

Mais Futebol