Reunião que marcou crise do Fla teve Bandeira pedindo "ajuda" ao elenco

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Júlio César Guimarães/ UOL

    Eduardo Bandeira de Mello encara os últimos meses como presidente do Flamengo

    Eduardo Bandeira de Mello encara os últimos meses como presidente do Flamengo

Tarde de quinta-feira, 29 de março, no Ninho do Urubu. O presidente Eduardo Bandeira de Mello reúne o elenco do Flamengo após a eliminação no Campeonato Carioca. A pauta do encontro era a derrota para o Botafogo e a sequência da temporada. Mas, segundo apuração do UOL Esporte, duas passagens emblemáticas ficaram marcadas nos presentes naquele dia.

Uma forte cobrança era esperada sobre o grupo milionário. Ela, no entanto, não aconteceu desta forma. Posicionado entre jogadores e integrantes da comissão técnica, o mandatário citou o ano eleitoral e pediu "ajuda" ao elenco para terminar o mandato. Como já se reelegeu, Bandeira de Mello não pode se candidatar no pleito presidencial de dezembro.

"Faltam nove meses e dois dias para acabar o meu mandato. Eu preciso de ajuda para terminar bem", disse.

No momento em que se esperava que os jogadores recorressem aos dirigentes pelo mau momento, o que se viu foi o contrário. A conversa continuou diante de um clima de constrangimento, que só piorou.

Ao lado do CEO Fred Luz, o presidente do Flamengo não deu nomes, mas atacou figuras do clube ainda durante a reunião, deixando claro que os bons resultados são fundamentais para proporcionar a continuidade do grupo político que integra no comando do Rubro-negro.

"Eu não quero que os ladrões voltem ao Flamengo. Eles não podem voltar para cá", pontuou o cartola.

O encontro aconteceu no dia em que o Rubro-negro demitiu seis profissionais. O técnico Paulo César Carpegiani, o diretor Rodrigo Caetano, o gerente Mozer, os auxiliares Jayme de Almeida e Rodrigo Carpegiani, além do preparador físico Marcelo Martorelli deixaram o clube.

Cada vez mais isolado politicamente, Eduardo Bandeira de Mello tem dificuldades para contornar as insatisfações na diretoria. Por outro lado, o mandatário se filiou à Rede Sustentabilidade, de Marina Silva. Nos bastidores da Gávea, os comentários sobre as pretensões políticas do dirigente são cada vez maiores e existe a expectativa de que tente um cargo público nas eleições de outubro.

Procurado pela reportagem, o presidente Eduardo Bandeira de Mello se posicionou sobre as declarações que impactaram os presentes.

"O que posso dizer é que não usei a palavra 'ladrões'. Sobre o restante, prefiro não comentar. Trata-se de uma conversa privada", encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos