Caboclo se diz "comprometido com quem o apoiou"; Andrés fala em retaliação

Pedro Ivo Almeida, Rodrigo Mattos e Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Lucas Figueiredo / CBF

O discurso de Rogério Cabloco ao ser eleito presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) incomodou seus opositores. Em sua fala após a vitória, o dirigente disse estar "comprometido com quem o apoiou".

"Estamos plenamente comprometidos com quem nos apoiou. É isso que quero estabelecer com as federações, os clubes, as diretorias e os funcionários: um compromisso, um pacto, uma obrigação", disse Caboclo durante o discurso.

Presente na eleição na sede da CBF, Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, se disse preocupado com a fala. O corintiano foi um dos que não votaram em Rogério Caboclo para ganhar a eleição (votou em branco).

"Só espero de verdade que o discurso dele não se cumpra. Ele disse que vai apoiar, que vai ajudar, tem um compromisso com quem votou nele. E quem não votou? Não sei o que vai acontecer. [É um] problema isso", disse Andrés.

"Vocês viram o discurso. Ele (Caboclo) foi claro ao falar que trabalhará por quem votou nele. Acho que Flamengo, Corinthians e Atlético-PR terão problemas", continuou.

Ausente na eleição devido ao treino aberto do Flamengo no Maracanã, Eduardo Bandeira de Mello disse que "não seria profissional" um boicote de Caboclo. O clube carioca se absteve na votação para presidente da CBF.

"Não acredito que isso vá acontecer, porque os clubes são livres para se posicionarem da melhor maneira para os seus interesses. Nos abstemos, mas não imagino que vamos sofrer retaliação. Não seria profissional, correto, acho que não vai acontecer".

"O Flamengo estava presente sim, mandou representante, que se absteve. Não temos nada contra o Caboclo, mas a crítica em relação ao processo de como se deu essa eleição, em que os clubes tiveram papel de coadjuvante. Com 20 votos das federações você faz o presidente da CBF. Nada contra o Rogério, que acho uma pessoa competente, nada contra a CBF. Mas o Flamengo esteve presente sim".

A retaliação aos que não apoiaram não deve ficar apenas nos clubes. O UOL Esporte apurou que Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF) deverá ser afastado da gestão da entidade máxima do esporte brasileiro.

Reinaldo Carneiro Bastos tentou lançar uma chapa de oposição e se desgastou fortemente com o grupo de comando atual, de quem era aliado. A ideia de Caboclo e parceiros é retirar Reinaldo dos cargos de representante da CBF na Conmebol e diretor remunerado das séries B e C.

A eleição teve presença dos 20 clubes da Série B do Campeonato Brasileiro e 19 da Série A – o único ausente foi o Atlético-PR. Os clubes que não votaram em Caboclo foram Flamengo, que se absteve, e Corinthians, que votou em branco.

Por outro lado, todas as agremiações da Série B votaram em Caboclo. As 27 federações também enviaram representantes para o pleito. Com peso triplo na eleição, elas votaram de maneira unânime em Caboclo, incluindo Reinaldo Carneiro Bastos, que acabou cedendo à situação. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos