Corinthians recua em acerto com Rony após ser notificado por clube japonês

Dassler Marques e Thiago Fernandes

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Albirex Niigata

    Direção do Corinthians chegou a fechar acordo verbal com atacante, mas recuou

    Direção do Corinthians chegou a fechar acordo verbal com atacante, mas recuou

O imbróglio entre Rony e o clube japonês Albirex Niigata-JAP fez o Corinthians recuar quanto ao acordo verbal para assinar com o atacante de 22 anos.

Nas últimas horas, os japoneses enviaram notificação à CBF, Corinthians e Bahia, outro clube interessado em Rony, para alertar sobre a situação que envolve o atacante, acusado de abandono por parte do Albirex. Ele possui rescisão assinada pelo Cruzeiro, mas após análise o departamento jurídico corintiano recomendou que o presidente Andrés Sanchez não fechasse a transferência inicialmente verbalizada. 

O Corinthians ainda não descarta por completo a contratação de Rony, avaliado como um jogador de características interessantes para o elenco de Fábio Carille. Entretanto, vai esperar pelo desenrolar dos fatos e, caso encontrar alguma saída segura, adquirir o atleta. Nas últimas semanas, ao menos três clubes recuaram após análise jurídica da situação: Botafogo, São Paulo e o próprio Bahia, agora notificado pelo Albirex.

A notificação enviada pelo clube asiático informa que Rony tem contrato em vigor e que o mesmo se encerra em 1º de janeiro de 2020. Os japoneses alegam que Bahia e Corinthians tentam seduzi-lo sem o seu aval:

"Aparentemente, seduzido por clubes da CBF, como Corinthians e Bahia, por exemplo, o jogador deixou o Japão sem nosso consentimento e, mesmo sob contrato, está negociando termos e condições para um novo acordo de emprego sem nossa autorização ou consentimento. O comportamento dos membros afiliados [da CBF] são inaceitáveis desde que violem os principais pilares da forma de trabalho legal da Fifa nas últimas décadas", diz o documento.

"Nós informamos que o Albirex Niigata Inc. já notificou o jogador sobre a sua situação contratual e a respeito da volta ao Brasil. O Albirex Niigata Inc. tenta convencer o jogador a retornar ao Japão com as obrigações estabelecidas em seu contrato de emprego. Em conclusão, nós pedimos gentilmente a sua assistência ao avisá-los sobre os riscos e consequências deste deplorável comportamento antes de assinarem um novo contrato de emprego com o jogador, conforme informações fornecidas pelo TMS da Fifa", afirma outro trecho da carta enviada à CBF.

Entenda o passo a passo do imbróglio

Reprodução
Cruzeiro assinou rescisão de Rony, mas clubes interessados têm receio
 

Ao fim da temporada 2016, o Cruzeiro, dono dos direitos federativos de Rony, acertou a transferência dele ao Albirex Niigata. Os japoneses, sem condições de concluir a compra em imediato, assinaram um contrato de empréstimo válido por um ano, atrelado a um contrato de compra em definitivo que seria exercido meses seguintes.

O Albirex pagou 1,2 milhão de dólares aos cruzeirenses para adquirir o jogador e 80% de seus direitos econômicos, mas Rony alega, por meio de seu advogado, Carlos André, não ter acertado essa mudança em definitivo. A defesa do atacante afirma que ele assinou, entretanto, apenas um empréstimo de um ano e que, na sequência disso, não teria interesse em permanecer no Japão. 

Logo, depois de atuar pelo Albirex em 2017 e a equipe japonesa ser rebaixada, Rony e seus representantes alegaram desejo de acertar com um clube no Brasil - no caso, inicialmente, o Botafogo. Mas, depois de anunciar o jogador e se inteirar melhor sobre a parte jurídica, os botafoguenses desistiram do acerto. 

Rony retornou ao Japão após pedidos de sua equipe, mas se negou a participar da pré-temporada e, sem avisar, voltou ao Brasil mais uma vez. Diante do paradeiro desconhecido do atacante, o Albirex chegou a buscar as autoridades japonesas até saber que ele havia deixado o país de forma unilateral. Pressionado, já que havia recebido pela transferência, o Cruzeiro assinou a rescisão do jogador, mas no entendimento de equipes interessadas isso não o liberou para defender outro time. 

Com a rescisão assinada, Rony é considerado livre no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF, mas na avaliação de equipes interessadas, e também do Corinthians, só a partir de um acordo com o Albirex será possível fazer o registro sem riscos em função de seu litígio. O caso é atualmente avaliado pela Fifa. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos