Veterano do elenco do Corinthians, Walter se aproxima dos jovens do time

Diego Salgado e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Ale Cabral/AGIF

    Recuperado de uma grave lesão, Walter foi titular dos últimos oito jogos do Corinthians

    Recuperado de uma grave lesão, Walter foi titular dos últimos oito jogos do Corinthians

O Corinthians vive uma mudança de perfil do seu elenco depois da aposta da diretoria em jogadores desconhecidos e promissores. Diante desse cenário, atletas mais experientes têm desempenhado uma função importante nos bastidores ao se aproximar dos jovens a fim de facilitar a adaptação ao clube.

Aos 30 anos e com cinco anos de Corinthians, Walter se tornou um dos "professores" do elenco corintiano. Nos últimos meses, a diretoria alvinegra fez quatro apostas ao contratar os atacantes Matheus Matias e Bruno Xavier, o meia Fessin e volante Thiaguinho. E coube aos experientes, como o goleiro, ajudá-los diante de uma mudança tão abrupta - apenas Fessin ainda não está integrado ao elenco profissional.

Walter acredita que esse respaldo dado logo no início da trajetória no clube é uma troca, pois ele mesmo passou por isso quando deixou o União Barbarense em 2013 rumo ao Corinthians do técnico Tite. Agora, ele se vê na outra posição.

"Eu procuro sempre ajudar e conversar com os mais jovens e com os que chegam ao clube. Tenho uma característica de conversar mais diretamente com cada um e fico sempre à disposição quando precisam de algo. Temos que fazer isso, pois lá no início alguém fez pela gente também. Por ser um dos mais antigos, com certeza eu posso exercer essa função", disse Walter.

Goleiro também teve um desafio imenso pela frente

Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
O goleiro chegou ao Corinthians em maio de 2013 e disputou 64 partidas pelo clube

Walter também precisou encarar um grande desafio nos últimos meses depois de sofrer uma grave lesão muscular na coxa ainda na reta final do Campeonato Brasileiro, justamente quando teve uma rara chance de substituir o titular Cássio - naquela ocasião, o arqueiro defendeu um pênalti e ajudou o Corinthians a vencer o Atlético-PR por 1 a 0, encaminhando o título brasileiro.

"Foi um momento de incerteza. Estar lesionado e sem poder jogar é muito ruim. Talvez seja a pior coisa para um atleta, que quer sempre estar à disposição. Mas são situações que fazem parte da nossa carreira, e temos que saber lidar", afirmou Walter, que voltou aos treinos depois de quatro meses.

Depois da fase complicada na carreira, Walter teve uma oportunidade de ter uma sequência como titular do time corintiano, já que Cássio foi convocado por Tite para a disputa da Copa do Mundo com a seleção brasileira.

Apesar do bom momento individual, o goleiro lamenta a fase que o Corinthians atravessa - com Osmar Loss no comando após a saída de Fábio Carille, a equipe entrou em campo sete vezes, com apenas uma vitória, dois empates e quatro derrotas. 

"O mais importante é sempre o coletivo. Infelizmente não tivemos uma boa sequência, mas com certeza as coisas vão melhorar daqui para frente. É um início de um novo trabalho, muitos jogadores machucados, convocados. É natural que precise de paciência e tempo para tudo se encaixar", frisou.

O Corinthians volta aos treinos na próxima segunda-feira, depois de 11 dias de folga no começo da parada da Copa do Mundo. Antes de voltar ao Campeonato Brasileiro, o time disputará três amistosos: dois contra o Cruzeiro e um diante do Grêmio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos