Sevilla se reúne para discutir Ganso, que pode ficar fora da pré-temporada

Marcus Alves

Colaboração para o UOL de Lisboa (POR)

  • Koji Watanabe/Getty Images

    Paulo Henrique Ganso em ação durante jogo do Sevilla

    Paulo Henrique Ganso em ação durante jogo do Sevilla

O Sevilla se reuniu na última semana para discutir o futuro de Paulo Henrique Ganso e mantém conversas com pessoas ligadas ao meia para tentar chegar a um acordo. O jogador não faz parte dos planos do clube para a pré-temporada, que começa na próxima terça-feira (3).

A prioridade do Sevilla é encontrar um destino para o atleta de 28 anos, dono de um dos maiores salários de seu elenco e que ficou afastado durante praticamente todo o primeiro semestre, sem fazer qualquer partida oficial. Ele entrou em campo somente uma vez, em amistoso contra uma equipe da terceira divisão no qual deu uma assistência.

Ganso foi liberado depois disso para férias e, de acordo com o apurado pelo UOL Esporte, não faz parte dos planos dos espanhóis em sua reapresentação na próxima semana, no dia 3 de julho.

O técnico Pablo Machín já pediu aos jogadores que desembarquem pelo menos um dia antes para evitar imprevistos.

O ex-jogador de Santos e São Paulo descansa ao lado da família no Brasil enquanto cuida da forma no aguardo de uma definição.

Conforme revelado pela reportagem do UOL Esporte, um grupo de investidores procurou o Santos recentemente se oferecendo para intermediar o seu retorno à Vila Belmiro em troca de 5% dos direitos econômicos de promessas da base. A proposta foi imediatamente rechaçada pelo presidente José Carlos Peres.

Grêmio e Atlético-MG foram outros a mostrar interesse no meio-campista, mas, a exemplo do Santos, esbarraram no mesmo problema: a exigência do Sevilla em recuperar parte do investimento feito em sua contratação.

Esse é o principal ponto que separa Ganso e os andaluzes de um acordo.

Ao contrário do que se esperava, a demissão do diretor Óscar Arias, desafeto dentro de Nervión, não deixou as partes mais próximas de alcançarem um denominador comum. Reverenciado no clube, Joaquin Caparrós, substituto de Arias, assumiu a dianteira no assunto e bate o pé em torno de uma compensação para a saída do brasileiro.

Em última hipótese, como se cogitou ao longo dos últimos meses, a alternativa seria emprestá-lo dentro do futebol europeu, reduzindo, assim, o seu peso dentro da folha salarial.

Aos interessados no mercado, Ganso deixa claro que não aceita receber menos do que R$ 750 mil mensais e luvas a serem diluídas durante o tempo de contrato.

Desde o fim do ano passado, o nome do meio-campista esteve na pauta de Real Sociedad, Celta de Vigo e Deportivo La Coruña, da Espanha, do Besiktas na Turquia, do Orlando City, dos Estados Unidos, e também na China. Nenhuma das tratativas avançou até aqui.

O comportamento de Ganso é tido internamente como exemplar no Sevilla. Não houve qualquer conflito entre as partes, mesmo em seu momento mais tenso, após o corte de seu nome da lista da Liga dos Campeões pelo ex-técnico Vincenzo Montella e o seu afastamento dos treinos com o time principal.

O contrato do jogador com o Sevilla é válido até junho de 2021.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos