Topo

Futebol


Landim vence, tira grupo de Bandeira do poder e comanda Fla até 2021

Divulgação
O excutivo Rodolfo Landim foi o vitorioso na eleição para presidente do Flamengo Imagem: Divulgação

Leo Burlá e Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

2018-12-08T23:42:00

08/12/2018 23h42

Rodolfo Landim é o novo presidente do Flamengo. O executivo da área de petróleo comandará o Rubro-negro no triênio 2019-2020-2021. Ele bateu Ricardo Lomba, candidato do atual mandatário Eduardo Bandeira de Mello, por 1.889 votos a 1.097. O triunfo tira do poder o grupo do presidente após seis anos. Durante todo o sábado (8), o opositor liderou as pesquisas de boca de urna. A eleição aconteceu no ginásio Hélio Maurício, na Gávea.

Marcelo Vargas teve 41 votos, e José Carlos Peruano 22 indicações. Além da vitória, a Chapa Roxa (Unidos Pelo Flamengo), de Rodolfo Landim, conquistou 48 cadeiras no Conselho de Administração (24 suplentes) e 120 no Conselho Deliberativo (40 suplentes).

Segunda colocada, a Chapa Rosa (Avança Mais, Flamengo), de Ricardo Lomba, ficou com 12 vagas no Conselho de Administração (seis suplentes) e 30 no Conselho Deliberativo (dez suplentes).

Landim terá Marcos Braz, campeão brasileiro em 2009, como vice-presidente de futebol. O carro-chefe do clube ainda contará com um comitê formado por cinco integrantes. Eles serão o suporte do comandante da pasta.

Léo Burlá/UOL Esporte
Landim foi muito festejado pelos apoiadores ao vencer a eleição presidencial Imagem: Léo Burlá/UOL Esporte

Bandeira é xingado e tenta votos para Lomba

O ainda presidente Eduardo Bandeira de Mello passou a eleição buscando votos para Ricardo Lomba. Ele abordou associados na entrada do ginásio e irritou os opositores, que reclamaram da sua conduta.

Pouco tempo depois, o dirigente foi xingado por um eleitor. Ao entrar no ginásio para votar, o associado se deparou com o presidente conduzindo outro sócio ao setor de identificação. Além de ofendê-lo, ele também gritou "acabou o cheirinho", deixando claro que não frequentava mais o clube por conta do mandatário.

Os seguranças do Flamengo entraram em ação e impediram que o episódio tivesse desdobramentos. Pouco antes de deixar o clube, Bandeira cumprimentou Landim pela vitória e se colocou à disposição para a transição de governo.

Clima quente marca campanha

Desde o início da campanha eleitoral, a oposição mobilizou os associados e colocou em risco o domínio do grupo da situação SóFla (Sócios Pelo Flamengo). A trajetória foi repleta de troca de acusações, campanhas na internet e até processos. Apesar disso, Landim pretende unir o clube, de forma que seja possível governar com razoável tranquilidade.

"A ideia é trazer para o clube um bom ambiente. Serei presidente do Flamengo e de todos os rubro-negros. Apesar de toda a campanha para desconstruir a minha imagem, feita pelo desespero de perder o poder, pretendo chamar todos para uma boa convivência. Nesse grupo também existem boas pessoas e boas ideias. Serão bem-vindos. São rubro-negros", encerrou.

Já Ricardo Lomba desejou sorte ao novo mandatário. "Torcendo demais para que tudo dê certo. Como rubro-negro, torcerei sempre. Estou aqui para ajudar o Flamengo. O clube tem de estar pacificado. Vamos apoiar 100%", disse o candidato derrotado.

Mais Futebol