Topo

Futebol


Cruzeiro ataca agente de Arrascaeta em nota: "instigou a desarmonia"

André Yanckous/AGIF
Arrascaeta durante jogo do Cruzeiro contra o Flamengo Imagem: André Yanckous/AGIF

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-01-04T15:38:01

04/01/2019 15h38

A briga entre Cruzeiro e Giorgian De Arrascaeta ganhou um novo capítulo na tarde desta sexta-feira (4). O clube divulgou uma nota oficial atacando Daniel Fonseca, agente do uruguaio, que não compareceu ao treino desta manhã, na Toca da Raposa II.

Depois da nota oficial do atleta, que alega receber ameaças depois de ter seu telefone e do procurador divulgados, o clube também se manifestou.

"O Sr. Daniel Fonseca, a todo tempo, instigou a desarmonia e desrespeitou a instituição e seu próprio representado, ameaçando retirar o atleta do clube, como de fato vem tentando fazer. Nada houve entre clube e atleta, o que nos causa surpresa em sua declaração", escreveu o clube.

A briga entre as partes se deu por conta de uma proposta do Flamengo para tirar o jogador da Toca da Raposa. Os cariocas ofereceram 10 milhões de euros (R$ 42,37 milhões na cotação atual) para adquirir 50% dos direitos econômicos do camisa 10. A oferta foi recusada pelo vice-presidente de futebol Itair Machado, mesmo que o valor seja o pedido pelo próprio dirigente.

Arrascaeta participou da reunião e pediu para se mudar ao Ninho do Urubu. No entanto, teve a solicitação recusada. 

Confira, abaixo, a nota oficial na íntegra:

1. Em razão das declarações públicas do atleta Giorgian de Arrascaeta, informamos que, em momento algum da reunião ocorrida na última quinta-feira, o Cruzeiro EC ou seus representantes utilizaram expressões que pudessem gerar qualquer tipo de conflito com o atleta ou seu representante, reunião esta que contou com a participação de várias outras pessoas que testemunharam o ocorrido. Ao contrário, foi o Sr. Daniel Fonseca que a todo tempo instigou a desarmonia e desrespeitou a instituição e seu próprio representado, ameaçando retirar o atleta do Clube, como de fato vem tentando fazer. Nada houve entre Clube e atleta, o que nos causa surpresa em sua declaração.

2. Entretanto, ao que parece, a intenção já manifestada pelo procurador do atleta é promover o rompimento forçado do seu contrato de trabalho com o Cruzeiro EC, onde cria circunstâncias, faz ilações e deturpa fatos, a fim de criar um inexistente clima de hostilidade entre Clube e jogador, com o mau propósito de se valer indevidamente de fatos mentirosos para mover ações judiciais que poderiam lhe retirar do Clube. Mas o Cruzeiro EC confia na justiça e nas leis brasileiras, que não se curvarão a essas mentiras.

3. Admira-nos também a ilação feita de que ao final da reunião de quinta-feira, o atleta e seu procurador teriam recebido vários telefonemas e ameaças, com suposta relação entre o insucesso da reunião e o vazamento do número de seu telefone. Como é fato público, foi o próprio atleta que divulgou em entrevista recente que concedeu em 29/11/2018, de que seu número de celular já havia vazado ao público há bastante tempo, ou seja, demonstração de que não há verdade na ilação feita.

Mais Futebol