Arthur diz que é uma mistura de Borja e Deyverson e elogia Felipão

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

A semana será de apresentações no Palmeiras. O primeiro da lista foi Arthur Cabral, que deu a sua primeira entrevista nesta segunda-feira (7). O atacante afirmou que consegue misturar as características de Borja e Deyverson, seus concorrentes, e se animou por trabalhar com Felipão.

Contratado por R$ 5,5 milhões por 50% de seus direitos econômicos, ele se destacou no Ceará no ano passado.

"Eu acho que consigo equilibrar as duas partes. Eu tenho a boa presença de área, para buscar o bom cabeceio, mas também tenho o chute de curta e média distância", afirmou o jogador na coletiva.

Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Arthur disse ter Ronaldo de inspiração. Nascido em 1998, ele tinha quatro anos quando o Brasil foi campeão da Copa do Mundo com o Fenômeno no comando do ataque. Ele não se lembra do que fazia na hora da final contra a Alemanha, mas destacou a expectativa de trabalhar com outro membro daquela conquista: Felipão.

"Ele tem a fama de trabalhar com o 9, né, com centroavante. É uma posição que alguns clubes não têm, mas o Felipão gosta muito dessa posição. Então é bom para mim, porque ele sabe trabalhar com os camisas 9. Ele sabe fazer o 9 fazer gols", completou. 

Arthur é avesso a bebidas, tatuagens, brincos...

Atualmente, é comum que jogadores sejam fãs de tatuagem, brincos e cortes de cabelo diferentes. Arthur é o oposto disso. Mais próximo ao conceito de "jogador raiz", o atacante disse que também não gosta de festas e bebida.

"Eu sou de Campina Grande, terra da maior (festa de) São João do mundo e nunca fui. Não tenho festa, bebedeira, não tenho brinco, tatuagem, gosto de jogar videogame e só isso", disse.

"Tenho boa relação com as pessoas, independentemente de gostar ou não de festas. Tudo tem o seu momento. E tem o momento que eles vão querer ir para noite, beber e vão ter o respeito de saber que eu não curto isso", finalizou. 

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos