Topo

Futebol


Felipão ironiza sondagem por Dudu: "Quanto vale o melhor do Brasileiro?"

Ale Cabral/AGIF
Dudu comemora com Felipão após abrir o placar pelo Palmeiras contra o Santos Imagem: Ale Cabral/AGIF

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

2019-01-08T11:50:30

08/01/2019 11h50

Desde o fim do ano passado, o palmeirense se acostumou a ler sobre o interesse do futebol chinês por Dudu. A própria diretoria alviverde aguardava uma proposta pelo melhor jogador do Brasileirão. Os dias se passaram, o Palmeiras se reapresentou para a temporada 2019 e nenhum documento oficial de interesse pelo camisa 7 foi apresentado. 

Em entrevista coletiva nesta terça-feira (8), Felipão ironizou as notícias e disse esperar que o clube seja notificado de forma oficial para analisar qualquer proposta pelo "Baixinho".

"Tem papel? Noticiário que o cachorro correu na esquina... Quero ver ele correr e vir até aqui. Quero ver papel, proposta, valores... Muitas vezes, oferecer valores ao Dudu ou a qualquer outro jogador, muitas vezes, não é o correto. Primeiro, tem que falar com o clube. Quem tem contrato tem que cumprir ou paga-se a multa. O Barcelona queria o Paulinho. Foi lá e pagou a multa. Integral. Quarentinha! É assim que tem que ser. Tomara que apareçam as propostas por A ou B, aí o clube analisa, o jogador analisa e tá tudo certo. Eu gostaria e rezo para que o Dudu permaneça. Por enquanto, ele está fazendo o trabalho com dedicação espantosa. Pode ter coisas de jornal, imprensa, mas ele nem está preocupado com isso", afirmou o comandante.

Na última sexta-feira, Alexandre Mattos também citou a abordagem dos chineses. O diretor afirmou que os times de lá "oferecerem 10, 15 vezes o salário e deixa todo mundo maluco". Agora, foi a vez de Felipão comentar este tipo de procedimento.

"Quanto é uma proposta boa que foi o melhor do Brasileiro? Um dos melhores da Libertadores? 5, 10, 15, 50? Tem que sair? A gente tem valores. E os valores não são estabelecidos por quem quer comprar, mas sim por quem tem o direito. Isso é da direção. Uma das coisas que menos estou fazendo é opinar sobre contratações, jogadores, valores. Agora eu estou quietinho no meu canto e é muito melhor", completou o treinador.

Desde a sua chegada, Felipão tem sido um dos conselheiros de Dudu dentro e fora de campo. O treinador, que passou mais de dois anos na China, afirmou que o futebol do outro lado do mundo vive alguns problemas que ele não enfrentava quando esteve por lá.

"O futebol chinês tem um detalhe para analisar. Tem algumas situações vividas lá que nos fazem raciocinar. Tem clubes da segunda divisão que não pagam os atletas, que estão fechando as portas, e alguns da primeira divisão com problemas. Isso precisa ser bastante analisado. Mas vale a pena trabalhar na China por uma série de detalhes que naquela época era interessante, especialmente a financeira. Continua sendo interessante, mas, não sei. Depende da ideia de cada um. Dudu como sendo um jogador exponencial no futebol brasileiro, quem sabe possa ter uma ideia de seleção brasileira ou jogar em um grande clube europeu que pague diferente", analisou.

"Eu tenho conversado com o Dudu. Alertado sobre determinadas situações, sobre a China e sobre os clubes, os que eu conheço, como funcionam, os valores. Eu vivi dois anos e meio lá. Posso orientar de alguma forma. E ele tem se mostrado um profissional maravilhoso. Ouve, tem seu procurador e um contrato que normalmente ele está seguindo. Só que são detalhes que podem aparecer. Amanhã, depois de amanhã, até agora não existe nada. Se aparecer ele vai ouvir, o Palmeiras vai ouvir, o procurador vai se manifestar e, para isso, temos uma pessoa que é espetacular que é o Alexandre. Existe uma sintonia grande aqui no Palmeiras", finalizou. 

Mais Futebol