Grêmio espanta assédio e trata Geromel e Kannemann como inegociáveis

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Lucas Uebel/Grêmio

    Pedro Geromel e Kanneman em treino do Grêmio. Dupla é a base do time para 2019

    Pedro Geromel e Kanneman em treino do Grêmio. Dupla é a base do time para 2019

O Grêmio inicia 2019 com a certeza de que seu time está alicerçado em Geromel e Kannemann. A dupla de zaga é considerada pela diretoria como pedra angular para o rendimento em campo e convivência fora dele. Por isso, o clube gaúcho trata ambos como inegociáveis e tem recusado toda e qualquer tipo de proposta. Até as milionárias.

Kannemann esteve nos planos do Boca Juniors e ainda interessa ao Independiente. No Brasil, o Flamengo chegou a contatar o Grêmio extraoficialmente em busca de negócio.

O Grêmio respondeu a todos os contatos por Kannemann com um sonoro 'não'. A oferta do Independiente foi a mais alta, mas ainda assim os dirigentes gaúchos rechaçaram tratativas. Já Pedro Geromel tem sido menos assediado nas últimas semanas, mas já foi um dos que mais gerou sondagens no elenco gremista. Ao longo de 2017 e 2018, ele foi procurado por clubes brasileiros e da Europa. A saída, porém, nunca ficou perto de ocorrer.

No final de 2018, o Grêmio renovou os contratos de Kannemann e Geromel. O argentino ganhou aumento e ficou bem perto dos maiores salários do elenco, um seleto grupo que já tem Geromel como integrante desde 2017.

"Não é fácil achar zagueiro (para compor o elenco atual), os bons estão empregados e não é todo zagueiro que quer vir para cá. Temos a melhor dupla da América do Sul, na minha opinião", disse Renato Gaúcho, se referindo a inerente reserva de qualquer contratado para a função.

Os dois dividem protagonismo de forma bem orgânica. A pegada de Kannemann fecha com o jeito mais tranquilo de Geromel no dia a dia e gera liderança positiva no vestiário. Os zagueiros crescem ainda mais de importância nesse aspecto após as saídas de Marcelo Grohe e Ramiro.

Nas últimas semanas, o Grêmio usou termos como 'reformulação' e 'transformação' ao falar das saídas recentes. Douglas, outro líder antigo, não renovou e deixou a Arena. O adeus ao camisa 10 também reforça essa atualização no mapa do vestiário.

Pedro Geromel e Walter Kannemann dividem com Maicon e Léo Moura a batuta do elenco. Mas os zagueiros estão um degrau acima, na visão do próprio clube, como esteios do time.

UOL Cursos Online

Todos os cursos