Topo

Futebol


Palmeiras se irrita com calendário por janeiro congestionado e datas-Fifa

Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Felipão reclamou do calendário em sua primeira entrevista do ano Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

2019-01-11T04:00:00

11/01/2019 04h00

O calendário do futebol brasileiro tem gerado reclamações no Palmeiras neste início de temporada. Os principais pontos contestados por quem trabalha no clube são o excesso de jogos já em janeiro, com duas partidas por semana em vez de uma, e o fato de as competições não pararem nas datas-Fifa, reservadas para jogos de seleções, o que deverá causar desfalques.

No primeiro caso, o clube vê como incoerente a decisão de colocar quatro jogos em dez dias logo de cara. A estreia no Paulistão é em 20 de janeiro contra o Red Bull como vistante; no dia 23, tem jogo contra o Botafogo-SP em casa; no dia 27, o São Caetano, fora; e no dia 30, novamente longe do Allianz, o jogo é com o Oeste.

Já em fevereiro, são apenas quatro jogos o mês inteiro, com bem mais tempo de recuperação entre eles. A preocupação maior é que, nos primeiros jogos, os atletas ainda não estarão 100% condicionados e protegidos contra lesões, o que exigiria um período maior de descanso. O cenário contribui para que o clube mantenha o rodízio de titulares implantado por Felipão na temporada passada.

A segunda crítica é às datas-Fifa. Assim como aconteceu no ano passado por causa da Copa do Mundo, os torneios vão parar para a disputa da Copa América em 2019, entre 14 de junho e 7 de julho. Mas nas datas reservadas para amistosos das seleções, o calendário continua normalmente, o que pode desfalcar o Palmeiras de jogadores como o zagueiro paraguaio Gustavo Gómez e o atacante colombiano Miguel Borja.

Em sua primeira entrevista coletiva de 2019, Felipão bateu várias vezes na tecla do calendário. O treinador alviverde demonstrou incômodo com as situações que, segundo ele, dificultam o planejamento palmeirense para a temporada.

"É um problema. Tem a data-Fifa, tenho que analisar quais os jogadores que posso perder nos dias 21 e 26 de março. Em segundo lugar, de 26 jogadores inscritos, tenho cinco ou seis que não podem jogar o primeiro ou o segundo jogo. Outra coisa: tem quatro jogos em dez dias, depois seis jogos em 30. É uma série de coisas que a gente tem que analisar, que causam uma dificuldade muito grande ao técnico", disse Felipão.

Com vários jogadores em um regime especial de pré-temporada, o Palmeiras deverá ter calma para usar todo o potencial de seu elenco nesse início de ano. Além do rodízio que será feito, o clube não deve inscrever todos os atletas que tem direito já no início do Campeonato Paulista, esperando para ver quais jogadores estarão em melhores condições para aí sim ir completando a lista. A estreia acontece daqui a 10 dias, diante do Red Bull.

Mauro Beting: Palmeiras ainda precisa de um camisa 9

UOL Esporte

Mais Futebol