Topo

Caso Daniel


Caso Daniel: Natal de Juninho Riqueza teve visita da mãe e bolo de cenoura

Felipe Pereira

Do UOL, em São Paulo

13/01/2019 04h00

Edison Brittes passou o Natal na cadeia pela morte e mutilação do ex-jogador Daniel Côrrea. Separado da mulher e da filha, as alegrias de Juninho Riqueza, como é conhecido, foram muito mais simples que uma ceia em família. O ponto alto foi um bolo de cenoura com cobertura de chocolate, declarou o advogado de defesa Claudio Dalledone Júnior.

"No Natal houve abertura de levar um bolo e alimentos diferenciados. O bolo de cenoura com cobertura de chocolate foi o que ele mais mencionou", revelou Dalledone. 

Como o período de triagem, que impede visitas, acabou em novembro, foi possível receber parentes durante todo o mês de dezembro. O advogado de defesa contou que a mãe de Edison e o irmão dele estiveram na unidade prisional em São José dos Pinhais (PR) na proximidade de 25 de dezembro.

A Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária informou que além de sobremesa, que no caso dele foi bolo de cenoura, havia uma lista com produtos que excepcionalmente podiam entrar nas cadeias. Juninho Riqueza podia receber carne sem osso, macarrão, chocolate e refrigerante. O cronograma de Natal não permitiu visitas extras.

O advogado de defesa contou que o convívio do cliente com os demais presos é tranquilo. Dalledone afirmou que Edison é respeitado porque a massa carcerária condena crimes sexuais e a suposta tentativa de estupro que Daniel praticou, citada pela defesa do acusado e rebatida pela promotoria, exigia uma resposta enérgica.

Presas em Piraquara (PR), também região metropolitana de Curitiba, Cristiana Brites e sua filha, Allana Brittes, receberam visita da avó da garota. As duas têm expectativa de deixar a cadeia neste mês quando o Tribunal de Justiça do Paraná deve julgar um pedido de habeas corpus ainda em janeiro.