Topo

Futebol


Mesmo com interesse do Real, preferência de Militão é pela Premier League

Miguel Riopa/AFP
Imagem: Miguel Riopa/AFP

Marcus Alves

Colaboração para o UOL, em Lisboa (Portugal)

2019-01-15T04:00:00

15/01/2019 04h00

Quem esperava ver Éder Militão ser colocado à prova no clássico entre Porto, seu atual clube, e Sporting, no último sábado, 12, no estádio Alvalade, em Lisboa, se frustrou. Com o goleador holandês Bas Dost facilmente controlado, o ex-são-paulino se ocupou mais com as gaivotas que insistiam em persegui-lo em campo do que propriamente com os adversários no empate em 0 a 0.

Em excelente fase no futebol português, Militão soava até mesmo "disperso" em determinados momentos da partida, mas, sempre que exigido, mostrou por que foi eleito o melhor defensor do país em setembro, outubro, novembro e também em dezembro.

Não perdeu nenhum dos dez confrontos por baixo e ganhou os cinco duelos por cima. Recebeu nota 8 por sua atuação, a maior do jornal O Jogo.

Esses são números que contribuíram para que o Real Madrid se decidisse por sua contratação e avançasse de forma mais concreta na última semana para encontrar os representantes do jovem jogador de 20 anos. Conforme apurado pelo UOL Esporte, eles ouviram na reunião preliminar que, a princípio, a prioridade do camisa 3 é por uma transferência para a Premier League.

Existe interesse concreto por parte de Liverpool, Everton e Manchester United, que, na avaliação de seu estafe, permitiriam a ele ter mais tempo de jogo e seguir em ação contra os principais clubes do continente e brigando por títulos.

Além disso, o objetivo é fazer com que Militão entre de vez no radar da seleção brasileira após a Copa América, em junho, e se firme ao lado de Marquinhos, do PSG, na zaga. Uma renovação no grupo comandado por Tite é esperada ao fim da competição. 

No Real Madrid, entre outros, o atleta teria de superar a concorrência do espanhol Sergio Ramos e do francês Varane, que tornam quase impossível a missão de conseguir um espaço no miolo da defesa.

Mesmo tendo desenvoltura para atuar na lateral direita, como provou antes de deixar o São Paulo, ele tem consciência que Tite prefere vê-lo atuando como zagueiro. É com essa perspectiva que o treinador trabalha para tê-lo em curto prazo, com o envelhecimento de nomes como Thiago Silva, do PSG, Miranda, da Inter de Milão, e Dedé, do Cruzeiro, no horizonte.

A saída de Militão do Porto ao fim da temporada é tida como fato consumado.

Os portugueses, como revelado anteriormente pela reportagem, fizeram abordagem recente para aumentar a sua multa rescisória de 50 milhões de euros (R$ 207 milhões), sem sucesso. O presidente Jorge Pinto da Costa insiste, ainda assim, em subir o valor e compensar com o pagamento de novas luvas.

O prestígio atual de Militão é tamanho que o recém-contratado Pepe, que teve o seu retorno anunciado na última semana, abriu mão da camiseta que utilizou em sua primeira passagem pela equipe.

"Gosto do número 3, número que utilizei nos meus anos no Porto que me marcaram muito, utilizei também no Real Madrid. O 3 está muito bem entregue ao Éder Militão, por isso, fico com o 33", explicou.

Para afastar o assédio do exterior sobre o brasileiro, o jornal Expresso sugeriu, de forma irônica, uma medida "controversa". "Passamos a semana a ler sobre a vinda de Pepe e muito se teorizou sobre a possível ida de Militão para lateral direita. Face às exibições de Alex Telles, surpreende-me que ninguém sugira o lado esquerdo para o nosso defensor. Importante é escondê-lo das garras dos capitalistas", brincou.

Com contrato até 2023, Militão possui 23 jogos na temporada, com dois gols e outras duas assistências. Ele é uma das peças-chaves do Porto que lidera a Liga Portuguesa com 43 pontos, cinco à frente do Benfica.

Mais Futebol