Topo

Caso Daniel


Edison Brittes é transferido após receber bilhete com oferta de fuga

Edison Brittes Júnior na audiência de instrução do caso Daniel  - FRANKLIN FREITAS/ESTADÃO CONTEÚDO
Edison Brittes Júnior na audiência de instrução do caso Daniel Imagem: FRANKLIN FREITAS/ESTADÃO CONTEÚDO

Karla Torralba

Do UOL, em São Paulo

08/03/2019 15h00

O empresário Edison Brittes Júnior, preso pelo assassinato do jogador Daniel Corrêa, foi transferido hoje (8) da Casa de Custódia de São José dos Pinhais (PR) para a Casa de Custódia de Curitiba após ter recebido um bilhete com uma oferta de fuga em sua cela. A defesa de Brittes, no entanto, afirma que o réu não chegou a ter acesso ao conteúdo do bilhete. 

Oficialmente, a assessoria de imprensa do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen) informou que o réu por homicídio foi transferido às 10h de hoje por "precaução e segurança". Apesar de não detalhar o que houve, é comum que presos sejam transferidos de uma unidade para outra em caso de problema na unidade ou de alguma informação aos agentes penitenciários. 

Em contato com a reportagem do UOL, o advogado de Edison Brittes Júnior, Cláudio Dalledone Júnior, confirmou que o cliente recebeu vários bilhetes em sua cela enquanto esteve ausente do local para participar dos três dias de audiência de instrução, em fevereiro. Um dos bilhetes se tratava de uma oferta de fuga. 

"Durante os três dias, foram vários bilhetes para a cela, oferecendo série de coisas: celular, mulher e um dos bilhetes o estelionatário oferecia arrebatamento se pagasse 70 mil reais em uma determinada conta. Existe a intenção de presos querendo vender coisas para o Brittes por acharem que ele tem dinheiro, mas não tem", explicou o advogado. 

Segundo o advogado, Juninho não chegou a ver o bilhete e só ficou sabendo da existência do mesmo pelos funcionários da unidade prisional, quando os mesmos o chamaram para cobrar explicações. 

"É normal que olhem na cela quando o preso sai para audiência. Ele saía às 8h e voltava por volta de 22h e aí pegaram os bilhetes. Ele foi castigado muito, embora não tenha tido sequer acesso aos bilhetes", afirmou Dalledone. 

Antes da transferência, Edison Brittes Júnior ficou sete dias isolado dos outros presos. 

A próxima etapa da audiência de instrução do caso Daniel será nos dias 1º, 2, 3 e 5 de abril, quando serão ouvidas testemunhas de defesa e os sete réus do caso: os presos Edison Brittes, sua mulher, Cristiana Brittes e a filha, Allana Brittes, Ygor King, David Vollero e Eduardo Henrique da Silva e Evellyn Perusso, que responde em liberdade por falso testemunho.