Topo

Futebol


Estilos opostos de Carille e Sampaoli esquentam Corinthians x Santos

Ivan Storti/Santos FC e Daniel Vorley/AGIF
Imagem: Ivan Storti/Santos FC e Daniel Vorley/AGIF

Eder Traskini e Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo (SP)

10/03/2019 04h00

O clássico entre Corinthians e Santos hoje, às 16h (de Brasília), em Itaquera, válido pela décima rodada do Campeonato Paulista, pode ficar marcado pelo "duelo dos opostos": Fábio Carille, do Timão, e Jorge Sampaoli, do alvinegro praiano.

Os dois treinadores possuem estilos bem diferentes de trabalhar. Carille se destacou na carreira, que já conta com um título brasileiro e dois paulistas, pelo êxito defensivo de seus times. Apesar de enfrentar problemas para emplacar a fama nesta temporada, o treinador sempre considerou o Corinthians um "time chato" de se jogar contra por conta do "ferrolho defensivo".

Sampaoli, por sua vez, sempre se destacou pela ofensividade de suas equipes. O treinador argentino, aliás, foi campeão da Copa América de 2016 pela seleção chilena atuando de maneira extremamente ofensiva, mesmo encarando seleções mais potentes, como Brasil e Argentina.

No Santos, a fama já aumentou no início de temporada e até incomodou o técnico corintiano. Carille admite que não gosta de ouvir que o argentino é uma espécie de inovador no futebol por jogar sempre pressionando o adversário com "marcação pressão" e intensidade no ataque.

Os estilos opostos dos treinadores são ainda mais evidenciados nas estatísticas acumuladas até aqui no Estadual.

Sampaoli elevou o Santos de números ofensivos modestos no último Campeonato Brasileiro a principal referência na competição estadual. A equipe tem o melhor ataque, com 19 gols marcados, e virou uma espécie de máquina de incomodar os adversários.

De acordo com o Footstats, é quem mais cria jogadas que resultam em finalizações tanto para gol - foram 15, ao todo - quanto para finalizações: 106, média de 11,8 por partida.

No quesito conclusões, perde apenas para o Red Bull Brasil. A equipe de Campinas tentou 157 chutes a gol, enquanto o Santos 144. O adversário, no entanto, tem média inferior de 15,7 por partida contra 16 do Santos, além de já ter realizado dez jogos.

O alvinegro praiano também é o time que mais troca passes, média de 472,1 por jogo, e que possui a maior média de posse de bola, 64%. Os comandados de Sampaoli ainda tem o artilheiro da competição, o meia Jean Mota, com sete gols marcados.

Carille, por sua vez, lidera o Corinthians a números mais modestos, porém destacados no setor defensivo. O Timão, por exemplo, é o segundo time que mais intercepta jogadas. Foram 36 até aqui, média de quatro por partida, atrás somente do Red Bull Brasil, a principal surpresa do Estadual.

Além disso, é a segunda equipe que mais troca passes, principalmente entre os atletas de defesa e os volantes. Até aqui, média de 467 por partida. Entre os grandes, o Corinthians é quem mais sofre defensivamente. Foram 52 bolas no gol de Cássio.

Apesar do histórico de priorizar ajustar defensivamente as suas equipes, Carille em sua volta lidera um Corinthians que "não bate". O time é o que menos comete faltas entre os 16. Foram 98 em nove rodadas, média de 10,8 por partida. Nos desarmes, é apenas o nono, com média de 16,7.

Carille "reprova" Sampaoli como inovador

Carille ressalta que o sistema de jogo do argentino é pouco utilizado pelos treinadores no futebol mundial, mas ele voltou a dizer que o trabalho de Sampaoli não é uma novidade no Brasil. Ele acredita que tratar o argentino como inovador no futebol é desrespeitar, por exemplo, o técnico Fernando Diniz, que hoje comanda o Fluminense e que já realizou trabalho semelhante no Audax-SP.

"É um cara (Sampaoli) que fez um excelente trabalho na Universidad do Chile, que o credenciou a comandar o Chile e foi para Copa do Mundo com a Argentina. A escola dele não tem 5% que faz o que ele faz", disse Carille.

"Algumas coisas que acabam incomodando, é que uma boa parte da imprensa fala como inovação, ele tem que ser exaltado, o início dele é brilhante, mas é uma falta de respeito com o Fernando Diniz. Com o que o Diniz fez no Audax, quando tirou o Palmeiras, o Corinthians e jogou melhor que o Santos na final. Ele e o Sampaoli fazem o mesmo trabalho, não é uma inovação", completou.

Jorge Sampaoli costuma atuar no esquema 4-4-2, em formato de losango no meio-campo. Com isso, o argentino aposta em dois atacantes de velocidade e descarta a escalação de um centroavante fixo na área. Carille também não vê novidades nessa estratégia de Sampaoli. Ele disse que o esquema já foi utilizado por ele no Corinthians e por outros técnicos do futebol brasileiro, além de Pep Guardiola no período em que comandou o Barcelona, da Espanha.

Ficha Técnica
Corinthians x Santos

Data: 10 de março de 2019
Horário: 16h (de Brasília)
Local: Arena Corinthians, em São Paulo-SP
Árbitro: Douglas Marques das Flores (SP)
Assistentes: Marco Antonio de Andrade Motta Junior e Evandro de Melo Lima (ambos de SP)

Corinthians: Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Júnior Urso e Sornoza; Pedrinho, Clayson (Ramiro) e Boselli (Vagner Love). Técnico: Fábio Carille.

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca, Carlos Sánchez e Jean Mota; Derlis González e Rodrygo. Técnico: Jorge Sampaoli.

Mais Futebol