Topo

Athletico

Presidência do Athletico volta a mudar após punição por críticas ao TJD

Gustavo Oliveira/Site Oficial do Atlético-PR
Luiz Sallim Emed também já havia sido punido pelo TJD-PR Imagem: Gustavo Oliveira/Site Oficial do Atlético-PR

Do UOL, em Santos (SP)

2019-03-28T10:57:44

28/03/2019 10h57

O Athletico Paranaense voltou a ser punido pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR), desta vez por uma nota oficial contra a entidade (leia mais abaixo), publicada no último dia 18. O clube rubro-negro foi multado em R$ 75 mil e ainda teve Lauri Pick, presidente em exercício, suspenso por 37 dias - e também multado em R$ 60 mil.

Primeiro vice-presidente do Conselho Administrativo, Lauri Pick estava na presidência por conta da punição ao 'presidente original' Luiz Sallim Emed, suspenso por conta da 'torcida humana' na Arena da Baixada no clássico contra o Coritiba, pelo Campeonato Paranaense.

No mês passado, em julgamento no TJD, o Athletico havia sido multado em R$ 200 mil e teve Luiz Sallim punido por 360 dias. No recurso, analisado pelo Pleno, o clube teve a multa reduzida para R$ 100 mil, mas o presidente seguiu suspenso. Com isso, Lauri Pick assumiu.

Agora, com a suspensão de Lauri Pick, será Marcio Lara, segundo vice-presidente do Conselho Administrativo, o responsável por responder pelo clube rubro-negro.

RELEMBRE A NOTA QUE RENDEU NOVA PUNIÇÃO:

Em razão da definição pelo Athletico da manutenção do projeto da "torcida humana" e não disponibilização de setor segregado para torcida visitante, no final do mês de fevereiro a 1ª Comissão Disciplinar do TJD-PR aplicou, por maioria, pena de 200 mil reais contra o Athletico e 360 dias de suspensão ao presidente Sallim.

Após recurso do Athletico e da Procuradoria do TJD-PR, os membros do Pleno do Órgão (Dr. Luciano Costenaro, Dr. Cesar Gradela, Dr. Daniel Andreatta, Dr. Valdomiro Neto, Dr. Rafael Melo e o Dr. Adelson Batista) decidiram, por maioria, em aplicar pena de multa de 100 mil reais para o CAP, considerando-se descumprida uma única conduta e, ainda, manter a pena de 360 dias de suspensão ao presidente Sallim.

Neste contexto, chama atenção o voto proferido pelo Dr. Adelson Batista, que rejeitou todas as preliminares e deu provimento integral ao recurso da Procuradoria para, entendendo que houve o descumprimento de quatro condutas, majorar a multa para 400 mil reais.

Em relação ao presidente Sallim, manteve a pena de 360 dias de suspensão, aplicando, entretanto, multa de 100 mil reais para cada conduta, totalizando 400 mil reais. Não bastasse essa situação, o Dr. Adelson votou para que fosse aplicada a mesma punição ao Athletico e ao presidente Sallim nos Autos nº 17/2019, que discute a mesma matéria e foi extinto para que não houvesse uma dupla punição pelo mesmo fato, de acordo com o entendimento dos demais auditores que compunham o julgamento. Ou seja, absurdamente o Dr. Adelson queria punir o Athletico em uma multa de 800 mil reais e o presidente Sallim em uma pena de suspensão de 720 dias e multa de 800 mil reais. Uma aberração.

O Athletico irá recorrer desta decisão proferida pelo Pleno do TJD-PR para o STJD, mas vem novamente perante os seus torcedores lamentar a forma que as questões referentes ao futebol paranaense estão sendo tratadas pelo nosso Tribunal de Justiça Desportiva.

Na semana anterior, este mesmo Tribunal (1ª Comissão Disciplinar) absolveu o Coritiba Foot Ball Club e o seu presidente das condutas antidesportivas de incitação ao ódio, ofensa à honra por fato relacionado ao desporto e descumprimento de regulamento quanto à veiculação de publicidade, o que foi praticado por ocasião da mesma partida Athletiba. Mais estranho é que a Procuradoria do TJD-PR, neste caso, sequer apresentou recurso. Alguém viu alguma repercussão a este respeito?

O Athletico não admite ser prejudicado desta maneira e exige que os membros do TJD-PR atuem com independência, de maneira impessoal, sem paixões clubísticas e em conformidade com o seu fundamento constitucional. É por isto que o Athletico, mais uma vez, vem a público manifestar o seu inconformismo e dar conhecimento aos torcedores athleticanos das injustiças havidas.