Topo

Cruzeiro

Cruzeiro inclui venda de Arrascaeta em contas de 2018 e evita rombo maior

Bruno Haddad/Cruzeiro
Wagner Pires de Sá é presidente do Cruzeiro desde janeiro de 2018 Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Rodrigo Mattos e Thiago Fernandes

Do UOL, no Rio de Janeiro e Belo Horizonte

2019-04-16T04:00:00

16/04/2019 04h00

O balanço do Cruzeiro de 2018 fechou com um déficit de R$ 27,2 milhões apesar de receita recorde. O rombo seria ainda maior se o clube não tivesse registrado a venda do uruguaio Arrascaeta para o Flamengo no ano passado, apesar da operação ter ocorrido neste ano. A alegação foi de que a negociação com uma empresa que participou da transação se iniciou em 2018.

O clube teve arrecadação recorde com uma receita bruta de R$ 386,8 milhões. O que chama mais atenção, no entanto, é o valor arrecadado em vendas de atletas para o futebol brasileiro: R$ 69,8 milhões. Para o exterior, o valor foi menor: R$ 15,1 milhões. Contando outros pontos, como mecanismo de solidariedade, multas e renda de empréstimos, o clube faturou R$ 90.384.013,00. A diretoria, no entanto, não especifica as negociações.

A Raposa acrescenta ainda nas notas explicativas para falar da transação com o Flamengo: "As negociações do atleta Giorgian Daniel Arrascaeta começaram no final do exercício de 2018 com a empresa detentora do direito exclusivo de negociações LINK Assessoria. Mediante documento enviado pela empresa que cumpre os requisitos para o registro de negócio, conforme NBC-TG47 emitido pelo Conselho Federal de Contabilidade, a administração (diretoria do Cruzeiro) entendeu que o negócio deve ser caracterizado como operação ocorrida no final de 2018 com o detentor do direito exclusivo".

Em seguida, o Cruzeiro explicou que embolsou R$ 36.168.400,00 logo no início de 2019 com a saída da dupla Arrascaeta e Gabriel Brazão. Os fatos são adicionados sob a seguinte justificativa: "Em 2019, até a data de aprovação deste Balanço houve os seguintes eventos relevância significativa que não originaram ajustes. Recebimento parcial de venda dos atletas Giorgian Daniel Arrascaeta e Gabriel Brasão no valor R$ 36.168.400,00 (Trinta e seis milhões cento e sessenta e oito mil e quatrocentos reais)".

O Cruzeiro negociou Thonny Anderson para o Grêmio, Mayke para o Palmeiras, Edimar para o São Paulo, Élber para o Bahia, Uillian Correia para o Vitória, Rafael Silva para o Bragantino, Alisson para o Grêmio e Andrey para o Remo em 2018.

Alguns jogadores saíram de forma gratuita da Toca da Raposa II. Rafael Galhardo foi para o Vasco, Eugenio Mena para o Bahia, John Lennon para o CSA, Fabrício para o Athletico-PR, Douglas Grolli para o Bahia e Rafael Marques para o Sport Recife.

O atual campeão da Copa do Brasil contraiu R$ 92.495.739,00 em empréstimos, sendo R$ 33.669.155 com o Banco BMG, R$ 3.000.000,00 com o Banco Santander, R$ 12.882.699 com o Banco Mercantil do Brasil e R$ 42.943.885,00 com Polo Clube Fundo de Investimentos. O clube informa, por meio do documento, que incorreu R$ 10.130.828,00 de juros sobre os empréstimos no ano passado.

A Raposa deve mais R$ 98.093.644,00, sendo R$ 53.326.254,00 a clubes estrangeiros, R$ 7.340.004,00 a equipes do Brasil e R$ 37.427.385,00 a terceiros. A dívida com os gringos está na Fifa.

De 2017 para 2018, o Cruzeiro aumentou os gastos com pessoal, que incluem salários de elenco, comissão técnica e diretores remunerados. Na temporada passada, o clube desembolsou R$ 226.147.314,00. No ano anterior, o valor foi de R$ 174.313.186,00.