Topo

Flamengo

Empresa veta termo "festa na favela" e gera crise com Flamengo

Torcida do Flamengo comumente canta nas arquibancadas a expressão "festa na favela"

Alexandre Araújo e Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

2019-04-20T14:48:40

20/04/2019 14h48

Uma "saia justa" entre o Flamengo e uma empresa terceirizada gerou uma polêmica na véspera da final do Campeonato Carioca contra o Vasco. A "X-Tudo", que cuida das redes sociais rubro-negras, vetou que a expressão "festa na favela" - comumente usada pela torcida nas arquibancadas - fosse utilizada nos canais de comunicação, algo que causou um tremendo mal-estar e foi interpretado pela diretoria como ingerência por parte da contratada. A informação inicial foi dada pelo jornal "O Globo" e confirmada pelo UOL Esporte com pessoas ligadas ao marketing.

A justificativa para o veto foi a de que o termo "favela" está associado à violência no Rio de Janeiro, mas a determinação pegou muito mal na diretoria, entre os conselheiros e também com a torcida. O assunto, aliás, tomou conta da sede do clube na manhã de hoje.

Vice-presidente geral do Flamengo, Rodrigo Dunshee de Abranches classificou o assunto como uma "babaquice" em sua conta no Twitter:

Alguns funcionários, inclusive, teriam sido contra a determinação no momento em que ela foi comunicada.

Integrantes da diretoria, por sua vez, se mostraram surpresos já que garantem que está proibido que empresas terceirizadas expressem determinações envolvendo questões institucionais do Flamengo.

O UOL Esporte tentou entrar em contato com Diogo Rocha, gerente da "X-Tudo" e funcionário da empresa, mas as ligações caíram em sua caixa postal.

O Flamengo emitiu uma nota oficial em seu site:

"Há quanto tempo não se lia a palavra favela nos jornais do Grupo O Globo?

Certamente há muito tempo.

Não somente nos jornais do referido grupo, como também na grande maioria dos veículos de comunicação e nos comunicados de empresas/instituições.

Já tem tempo que favela não é mais uma palavra utilizada na comunicação institucional.

Estranhamente, neste sábado, o jornal Extra faz uma matéria sobre o Flamengo com a expressão "festa na favela" sendo apresentada num contexto parcial e tendencioso, numa clara tentativa de se criar um possível constrangimento com a torcida um dia antes da decisão do Campeonato Carioca.

Coincidentemente a mesma tentativa que foi feita pouco tempo antes da decisão da Taça Rio, quando se deu um enorme destaque à "demissão de um psicólogo".

O porquê disto? Só o veículo para responder.

A matéria, ao pegar parte de uma conversa de profissionais do clube - que deveria ser restrita a eles - tenta passar a ideia que "existe um veto" na utilização da expressão "festa na favela". Não é verdade.

O fato é que um canto alegre e contagiante da torcida não necessariamente precisa ser a melhor maneira para a comunicação da Instituição.

Não usá-la regularmente na comunicação Institucional não significa nenhum veto ao termo ou desvalorização de uma tradição da torcida.

Esta é a verdade. Nada mais que isto.

Na realidade mais que palavras ou promessas, o Flamengo de hoje se mostra cada vez mais forte, inclusivo, praticando preços altamente populares, trazendo o seu torcedor de volta ao Maracanã e tendo, disparado, os maiores públicos do futebol brasileiro neste ano.

Para a tristeza daqueles que apostaram no contrário".