Topo

Futebol


B.O indica que Valdiram foi morto a pauladas; Polícia prende três suspeitos

Karla Torralba

Do UOL, em São Paulo

21/04/2019 14h48

A Polícia Civil de São Paulo prendeu hoje (21) três suspeitos de participação no assassinato do ex-jogador do Vasco Valdiram, que foi encontrado morto em Santana, na zona norte de São Paulo na última sexta (19). O corpo de Valdiram Caetano de Morais, 36 anos, que já foi liberado para enterro, tinha sinais de ferimentos provocados por pauladas, segundo informações do Boletim de Ocorrência.

A determinação da causa da morte de Valdiram ainda depende da finalização do laudo do Instituto Médico Legal, mas a polícia investiga o caso como homicídio simples. A vítima foi encontrada com vários hematomas por todo o corpo e rosto, como relata do Boletim de Ocorrência:

"Valdiram Caetano de Morais, de 36 anos, foi encontrado morto na rua santa Eulália, em Santana zona norte da capital por volta das 5h de sexta, dia 19. Policiais militares foram acionados pelo Samu por conta de um homem encontrado em via pública. Com diversos hematomas no corpo e face. Quando chegaram no local, encontraram a vítima já morta com ferimentos aparentemente provocados por pauladas. Não foi localizado nas proximidades nenhum objeto possivelmente utilizado no homicídio", diz o registro da polícia.

Hoje, os policiais da DHPP, delegacia especializada em homicídios, prenderam três suspeitos de participação no crime. "O caso foi registrado como homicídio simples no 13° Distrito Policial (Casa Verde) e é investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), por meio de inquérito policial. Três suspeitos de participação no crime foram presos na manhã deste domingo (21) e estão sendo ouvidos pela autoridade policial", disse a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo através de nota.

O corpo do ex-jogador foi encaminhado ao Instituto Médico Legal, onde passou por exame de necropsia e foi reconhecido por amigos e familiares.

Valdiram, que se destacou no futebol pelo Vasco em 2006 sendo artilheiro da Copa do Brasil, vivia nas ruas de São Paulo e sofria com a dependência química. Em 2015, após se converter evangélico, recebeu nova oportunidade no clube carioca, mas teve uma recaída e voltou às ruas.

Mais Futebol