Topo

Palmeiras

Palmeiras: destaque do sub-20 saiu de time de favela para ser multicampeão

Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação
Patrick de Paula (à direita) comemora gol do Palmeiras na final da Copa do Brasil sub-20 Imagem: Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

2019-05-20T13:00:00

20/05/2019 13h00

O sub-20 do Palmeiras ostenta hoje a condição de ser o atual campeão de três dos principais torneios da categoria no país: o Campeonato Paulista, o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil, vencida na semana passada em uma final emocionante contra o Cruzeiro. E um dos destaques dessa tríplice conquista superou um início difícil para se tornar um dos principais nomes do time alviverde: Patrick de Paula.

O meio-campista disputava torneios amadores no Rio de Janeiro com o time de sua comunidade quando foi "pescado" pelo Palmeiras. Há dois ano e meio na base do clube alviverde, ele retribuiu com atuações importantes em todas as conquistas recentes do sub-20, inclusive marcando um golaço de falta para abrir o placar na decisão diante do Cruzeiro na Copa do Brasil.

"Eu jogava em um time da minha comunidade em um campeonato amador do Rio de Janeiro, chamava Cara Virada. Era o Carioca Amador, mas também já disputei a Taça das Favelas. Um dos olheiros do Palmeiras me viu, gostou do meu futebol e me convidou para fazer uma avaliação. Fui aprovado, lembro até o dia: 18 de outubro de 2016", contou Patrick ao UOL Esporte.

"Eu já tinha feito muitos testes em times grandes, então sabia um pouco como era a rotina. Só não tinha passado em nenhum até esse teste no Palmeiras. Fui recebido bem, soube mostrar meu futebol e meus companheiros me ajudaram bastante na adaptação. É muito diferente jogar na várzea e jogar na base de um clube grande", continuou.

Veja o golaço de falta de Patrick na final da Copa do Brasil:

Sob o comando do técnico Wesley Carvalho, Patrick passou por uma transformação em seu estilo de jogo e se adaptou para uma função mais recuada, dando qualidade na saída de bola e também chegando na área adversária. Em seu último ano de sub-20, o meio-campista canhoto tem contrato até o final desta temporada e vive a expectativa de ser aproveitado no profissional no ano que vem.

"Cheguei como meia-atacante, camisa 10. Desde o ano passado, tenho jogado um pouco mais recuado, como volante. Acho que me adaptei bem, estou me sentindo muito bem e conseguido uma sequência boa no time desde o começo da temporada. Conquistamos muitos títulos importantes nesse período, o jogador precisa saber fazer várias funções hoje", afirmou.

"É um momento histórico para mim, tenho certeza que para o resto da minha vida vou lembrar de tudo isso que estou vivendo agora na base do Palmeiras. Espero aproveitar ao máximo tudo isso. O meu sonho é o mesmo de todos aqui: chegar ao profissional e realizar o sonho da minha família também".