Topo

Guerrero faz dois, Inter bate o Paysandu e abre vantagem nas oitavas

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

23/05/2019 21h52

Após sair na frente e levar um susto, o Internacional conseguiu vencer o Paysandu por 3 a 1, hoje (23) no Beira-Rio, em jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Paolo Guerrero fez dois, e Rodrigo Lindoso completou pelo Colorado. Micael fez o gol do Papão.

Com a vitória, o Inter joga por qualquer empate, vitória ou até derrota por um gol de diferença no encontro de volta, em Belém, na próxima quarta-feira. Vitória do Paysandu por dois gols de diferença leva a decisão para os pênaltis. Três ou mais de vantagem coloca a equipe do Pará às quartas. Não há saldo qualificado no regulamento.

Quem foi bem: Substituto de Dourado marca

Rodrigo Lindoso tem por função principal defender. Mas partiu dos pés do ex-Botafogo o segundo gol do Inter no jogo. Após cruzamento e cabeceio ele, de voleio, venceu o goleiro Mota, acalmando uma partida que poderia ficar tensa.

Quem foi mal: Zeca dá espaços, e gol sai do seu lado

Zeca deu espaço para investidas do Paysandu. O gol de empate saiu por seu lado, e a primeira providência do técnico Odair Hellmann ao ver que o rival crescia foi sua saída para entrada de Parede. Assim, Edenílson foi recuado para a lateral.

Vai na bola? D'Alessandro vira para reclamar do juiz

D'Alessandro participou de uma jogada curiosa no primeiro tempo. Aos 36 minutos, o gringo passou a bola para Emerson Santos e virou de costas para a jogada, reclamando do árbitro que não havia assinalado falta. O zagueiro, sem opção, devolveu para D'Ale, que, de costas não viu o passe. Quando a bola chegou, ele, surpreso, seguiu a jogada e não a perdeu. O camisa 10 foi importante ao começar a jogada do primeiro gol e ditar o ritmo das ações ofensivas do time.

Colorado fura retranca com passes curtos

O Internacional sabia o que iria encontrar. Um time fechado, com linhas recuadas e marcação forte, especulando o contra-ataque. E foi exatamente isso que esteve pela frente. O Paysandu encaixou seus volantes em D'Alessandro e Nonato, deixando Nico López por conta de Bruno Collaço e tentando desabastecer Paolo Guerrero. Conseguiu durante boa parte do jogo, mas não contava com uma trama de passes curtos entre D'Ale, Nico e Guerrero, que abriu o marcador e o caminho na defesa rival. No segundo tempo, apesar do susto com gol do Paysandu, o Inter seguiu empilhando chances.

Papão empata no começo do segundo tempo

Visitante no Beira-Rio, o Paysandu não abriu mão da defesa. Mesmo após o gol do Inter, a ideia de não deixar o placar ser ampliado pautou as movimentações da equipe de Léo Condé. As poucas chegadas à frente partiram dos pés de Nicolas. No segundo tempo, a postura defensiva ainda seguia. Porém, depois de um escanteio, o zagueiro Micael ficou na área e empatou, mudando a cara do jogo. O time visitante, porém, não conseguiu criar muito mais que isso.

Cronologia do jogo

O Internacional abriu o placar aos 36 minutos do primeiro tempo. No entanto, o Paysandu empatou no começo da etapa final, com Micael. O jogo ficou tenso até o gol de Rodrigo Lindoso, que desempatou aos 12 da etapa final. Ainda houve tempo para Guerrero fechar o placar, aos 34 do segundo tempo.

Muita chuva, pouca gente

A chuva afastou público do jogo. Desde as primeiras horas do dia, o tempo ruim e a temperatura baixa da capital gaúcha estiveram presentes e pesaram na baixa adesão ao duelo.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 3 X 1 PAYSANDU

Data: 23/05/2019 (Quinta-feira)
Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias de Araújo
Auxiliares: Miguel Ribeiro da Costa e Bruno Salgado Rizo
Renda: R$ 467.910,00
Público: 15.328 (total)
Cartões amarelos: Jhony Douglas (PAY); Emerson Santos (INT);
Gols: Paolo Guerrero, do Inter, aos 25 minutos do primeiro tempo e aos 34 do segundo tempo; Micael, do Paysandu, aos dois minutos do segundo tempo; Rodrigo Lindoso, do Inter, aos 12 minutos do segundo tempo;

INTERNACIONAL
Marcelo Lomba; Zeca (Guilherme Parede), Emerson Santos, Cuesta e Iago; Rodrigo Lindoso, Edenílson, Nonato, D'Alessandro (Rafael Sobis) e Nico López (Sarrafiore) ; Paolo Guerrero.
Técnico: Odair Hellmann

PAYSANDU
Mota; Bruno Oliveira , Micael, Victor Oliveira e Bruno Collaço; Uchôa, Jhony Douglas, Marcos Antonio e Thiago Primão (Tiago Luís); Diego Rosa (Vinícius Leite) e Nicolas (Paulo Henrique).
Técnico: Léo Condé