Topo

Futebol


Mulher que acusa Neymar de estupro entregou imagens e "dossiê" à polícia

Danilo Lavieri, Luís Adorno, Marcel Rizzo e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo e Teresópolis

03/06/2019 04h00Atualizada em 03/06/2019 17h00

A mulher que acusa Neymar de tê-la estuprado em Paris possui imagens e documentos que não constam do boletim de ocorrência registrado na última sexta-feira. O UOL Esporte apurou que parte das provas já foi entregue à Polícia Civil de São Paulo. As investigações correm protegidas por segredo Justiça.

Segundo quatro fontes diferentes que tiveram acesso às imagens, elas mostrariam o jogador agindo de forma "agressiva" ou "alterada" antes do momento do suposto crime. A autora da acusação afirmou à polícia que Neymar a encontrou visivelmente alterado no dia 15 de maio, em um hotel e Paris, e teria mantido relações sexuais sem seu consentimento.

Em entrevista à TV Bandeirantes depois da publicação desta reportagem, Neymar pai disse que seu filho estava sendo filmado quando foi ao hotel em que a garota estava hospedada. "O celular parecia estar de pé, como se estivesse carregando. Ele viu que estava filmando e aí pediu para ela ir embora. Ele emitiu a passagem de volta dela", afirmou. "O Neymar até tenta filmar, tenta gravar, mas ele erra. Coloca no bolso e não consegue", completou ao explicar que seu filhou tentou se defender.

O caso tomou conta do noticiário durante a preparação da seleção brasileira para a Copa América, na Granja Comary. A denúncia foi revelada pela reportagem neste sábado. A mulher, brasileira, afirma que viajou a Paris a convite de Neymar, onde teria passado dois dias e sido estuprada pelo jogador. Segundo ela, um assessor do atleta teria pago as despesas da viagem e cuidado da logística.

Na noite de sábado para domingo, Neymar foi às redes sociais para se defender e falou que foi vítima de uma armadilha, repetindo a versão dada por seu pai na noite anterior à TV Bandeirantes.

Neymar exibiu um vídeo, vazando um suposto diálogo pelo aplicativo Whatsapp, no qual foram expostas diversas fotos íntimas da mulher que o acusa de estupro. Ao longo da conversa vazada, o jogador e a suposta vítima trocam mensagens de conteúdo sexual e marcam um encontro em Paris, na França.

Os diálogos começam meses antes do encontro, e continuam após o dia do suposto estupro. No dia 16 de maio, um dia depois de quando o fato teria ocorrido, a mulher segue conversando com Neymar normalmente, inclusive tentando marcar um novo encontro. Ela chega a pedir que o atleta envie um presente a seu filho.

O trecho da suposta conversa exposta por Neymar termina sem que a mulher faça qualquer acusação. Desde a publicação da denúncia pelo UOL Esporte, a suposta vítima não se posicionou publicamente. O vídeo publicado pelo camisa 10 da seleção brasileira foi apagado hoje pela manhã.

Por causa da exposição das fotos, o jogador passou a ser investigado por vazamento de fotos íntimas. O caso será apurado pela Delegacia de Repressão de Crimes de Informática. Ontem, a 110ª DP, de Teresópolis, enviou policiais à Granja Comary para colher informações. Os policiais foram recebidos pelo chefe de segurança e pelo administrador da Granja e ouviram que o atleta se reapresentaria mais tarde. Pouco depois, o atacante desembarcou na concentração em seu helicóptero ao lado de Thiago Silva, Daniel Alves e Arthur.

Em São Paulo, assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública de SP informou que a situação das fotos será apurada junto com o inquérito que investiga o estupro. Como ele corre em sigilo, o órgão não vai se manifestar sobre esta parte da investigação no momento.

Neymar treinou normalmente com os companheiros de seleção ontem, inclusive aparecendo entre os titulares. O atacante deve estar em campo no primeiro amistoso preparatório, no próximo dia 5 de junho, contra o Qatar, em Brasília. O Brasil estreia na Copa América no dia 14 de junho, diante da Bolívia, no Morumbi.

Mais Futebol