Topo

Seleção Brasileira


Brasil atropela Honduras e consegue a maior goleada desde 2012

Jogadores da seleção brasileira comemoram um dos gols sobre Honduras no Beira-Rio - Pedro H. Tesch/AGIF
Jogadores da seleção brasileira comemoram um dos gols sobre Honduras no Beira-Rio Imagem: Pedro H. Tesch/AGIF

Danilo Lavieri, Marcel Rizzo, Marinho Saldanha e Pedro Lopes

Do UOL, em Porto Alegre

09/06/2019 17h52

A seleção brasileira fechou a preparação para a disputa da Copa América com 100% de aproveitamento e uma goleada, mesmo após o corte de Neymar. Com dois gols de Gabriel Jesus e o primeiro de David Neres pelo time principal, o Brasil atropelou Honduras por 7 a 0 na tarde de hoje, em Porto Alegre, no Beira-Rio. A equipe hondurenha ainda teve um jogador. expulso.

Jesus abriu o placar aos oito minutos do primeiro tempo. Thiago Silva e Philippe Coutinho, grande nome da partida, fizeram os outros tentos antes do intervalo. Na segunda etapa, Jesus foi às redes de novo logo no primeiro minuto e se isolou como artilheiro da seleção no ciclo da Copa do Mundo de 2022 com seis tentos.

Neres, Roberto Firmino e Richarlison fecharam a conta da maior goleada brasileira sob o comando de Tite e a maior desde 2012. Na ocasião, Mano Menezes era o técnico da vitória por 8 a 0 sobre a China, também em amistoso.

O Brasil agora terá quatro dias para treinar antes da estreia na Copa América. Na sexta-feira, às 21h30, o Morumbi, em São Paulo, receberá o confronto com a Bolívia na abertura do torneio. Depois, a equipe ainda encara a Venezuela em Salvador, na Fonte Nova, e o Peru novamente em São Paulo, mas na Arena Corinthians.

Coutinho marcou o segundo gol pela seleção brasileira no ciclo da Copa do Mundo de 2022  - Guilherme Hahn/AGIF
Coutinho marcou o segundo gol pela seleção brasileira no ciclo da Copa do Mundo de 2022
Imagem: Guilherme Hahn/AGIF

Quem foi bem: Philippe Coutinho

Depois de uma temporada abaixo das expectativas pelo Barcelona e da queda de rendimento pela seleção brasileira após a Copa do Mundo de 2018, Philippe Coutinho voltou a se destacar. O meia atuou novamente centralizado, deu uma assistência para o gol de Thiago Silva e converteu um pênalti. Além disso, acertou a trave duas vezes em bonitos chutes para levantar a torcida.

Quem foi mal: Romell Quioto

Honduras já estava perdendo por 2 a 0 quando Romell Quioto deu carrinho perigoso em Arthur, levantou a perna durante o golpe e até tirou o volante brasileiro da partida. O árbitro uruguaio Andrés Cunha nem sequer hesitou e expulsou o atacante hondurenho pela entrada violenta.

Arthur saiu de maca acompanhado do médico Rodrigo Lasmar e precisou ser substituído - Guilherme Hahn/AGIF
Arthur saiu de maca acompanhado do médico Rodrigo Lasmar e precisou ser substituído
Imagem: Guilherme Hahn/AGIF

Alisson é ovacionado mesmo sem sujar o uniforme

Ídolo do Internacional, dono do Beira-Rio, Alisson teve uma tarde tranquila de domingo. A seleção de Honduras não exigiu que o goleiro do Liverpool trabalhasse, mas mesmo assim a torcida presente no estádio fez questão de ovacioná-lo a cada participação. Mesmo que elas tenham se resumido a toques com os zagueiros e tiros de meta.

Atuação do Brasil

Tite repetiu a estratégia adotada contra o Qatar. Se o adversário é frágil, que a superioridade seja colocada em prática do começo ao fim. Foi assim, com a marcação adiantada e muitas roubadas de bola no ataque, que o Brasil amassou Honduras durante toda a partida. A diferença na posse de bola e no número de passes trocados foi gritante e ficou ainda mais ampla com a expulsão de Quioto. A evolução em relação ao amistoso contra o Qatar esteve na qualidade das finalizações. O goleiro López trabalhou bem mais na tarde de hoje do que Al Sheeb na última quarta-feira.

Atuação de Honduras

A equipe treinada pelo uruguaio Fabián Coito planejava se fechar na defesa e tentar explorar os contra-ataques. Uma receita que já havia sido incômoda para o Brasil em março, no amistoso contra o Panamá. O problema é que as linhas de marcação hondurenhas não estavam tão compactas e concentradas assim. Tabelar e entrar na área era tarefa fácil para os brasileiros. E o setor ofensivo foi completamente anulado pela adiantada defesa de Tite.

Pedro H. Tesch/AGIF
Imagem: Pedro H. Tesch/AGIF

Cronologia do jogo

A blitz promovida por Tite fez com que Honduras passasse por apuros desde os primeiros lances da partida. Tanto é que Gabriel Jesus abriu o placar de cabeça aos oito minutos, em lance que precisou ser confirmado pelo VAR e teve assistência de Daniel Alves, e Thiago Silva, novamente pelo alto, após escanteio de Philippe Coutinho, ampliou aos 12.

Sem baixar o ímpeto, a seleção ainda acertou duas vezes a trave em belos chutes de Coutinho. O meia só desencantou quando Richarlison sofreu pênalti de Izaguirre. Coutinho bateu firme, no canto direito alto do goleiro, e fez o terceiro aos 37 minutos da primeira etapa.

Na volta do intervalo, novamente o Brasil conseguiu marcar dois gols antes dos 15 minutos. Jesus recebeu pivô de Richarlison e bateu de canhota, com o gol vazio, ainda no primeiro minuto. Aos 11, Filipe Luís acionou David Neres, que arrancou pela esquerda, olhou para a área e enganou o goleiro López com toque de categoria no contrapé.

David Neres ocupou a posição de Neymar no time titular armado por Tite contra Honduras - Guilherme Hahn/AGIF
David Neres ocupou a posição de Neymar no time titular armado por Tite contra Honduras
Imagem: Guilherme Hahn/AGIF

Também com um toque bonito para finalizar, Roberto Firmino pegou sobra pelo lado direito da área e encobriu López aos 19. Já aos 25, Everton, que havia entrado no lugar de Coutinho, fez boa jogada individual pela esquerda e cruzou rasteiro para Richarlison anotar o sétimo.

Dunga acompanha o amistoso no Beira-Rio

O amistoso em Brasília contra o Qatar já não havia recebido um público muito grande. Em Porto Alegre, novamente a torcida foi tímida. Mas o Beira-Rio contou com uma presença ilustre em um de seus camarotes. O técnico Dunga, antecessor de Tite na seleção brasileira, acompanhou a partida no estádio.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 7X0 HONDURAS

Data: 9 de junho de 2019, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre
Árbitro: Andres Cunha (Uruguai)
Assistentes: Gabriel Popovits e Carlos Barreiro (ambos do Uruguai)
Público: 16.521 presentes
Renda: R$ 1.202.890,00
Cartões amarelos: Casemiro (Brasil); Rojas (Honduras)
Cartão vermelho: Quioto (Honduras)
Gols: Gabriel Jesus aos 8', Thiago Silva aos 12' e Philippe Coutinho (de pênalti) aos 37 minutos do primeiro tempo. Gabriel Jesus a 1' e David Neres aos 11' e Roberto Firmino aos 19' e Richarlison aos 25 minutos do segundo tempo

BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Thiago Silva (Miranda), Marquinhos (Militão) e Filipe Luís; Casemiro (Fernandinho), Arthur (Allan) e Philipe Coutinho (Everton); David Neres, Richarlison e Gabriel Jesus (Roberto Firmino).
Técnico: Tite

HONDURAS: "Buba" López; Félix Crisanto, Henry Figueroa, Maynor Figueroa e Emilio Izaguirre (Alvarado); Luis Garrido (Castellanos), Bryan Acosta (Michaell Chirinos) e Alex López (Beckeles); Romell Quioto, Roger Rojas (Jorge Álvarez) e Alberth Elis.
Técnico: Fabián Coito.

Mais Seleção Brasileira