Topo

Esporte


Goleiro que parou Neymar e Tite vira obstáculo para o Brasil em estreia

DAVID MERCADO/Reuters
Carlos Lampe teve grande atuação contra o Brasil nas Eliminatórias para a Copa de 2018 Imagem: DAVID MERCADO/Reuters

Diego Salgado e José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

2019-06-12T12:00:00

12/06/2019 12h00

O Brasil irá enfrentar um nome que carrega a credencial de parar Neymar, Gabriel Jesus e toda a equipe de Tite nas Eliminatórias para o Mundial do ano passado. Nesta estreia da Copa América, a seleção brasileira vai ter pela frente o goleiro Carlos Lampe, destaque da Bolívia e alvo de elogios da delegação no empate por 0 a 0, ocorrido em outubro de 2017.

Passados quase dois anos da atuação mágica, classificada pelo próprio goleiro como uma das "três melhores da carreira", o desempenho diante do Brasil se mantém vivo na memória do jogador do San José, que teve passagem apagada pelo Boca Juniors no ano passado.

As lembranças são as melhores, como o presente recebido do craque do PSG, e servem como exemplo para o jogo de sexta-feira, às 21h30 (de Brasília), no Morumbi, pelo grupo A do torneio.

"Bom, lembro que peguei tudo [risos]. Foi uma boa tarde, um dia com muitas defesas difíceis. Agora estamos preparados para encarar um desafio parecido, sendo visitante. Espero estar à altura daquele dia. Sempre tentarei deixar tudo no campo", relembrou Carlos Lampe, em entrevista concedida no CCT do São Paulo.

"Eles me parabenizaram depois daquele jogo, recordo que me parabenizaram. Neymar e o técnico [Tite] falaram comigo. Agradeci pelo gesto e agora nos enfrentaremos de novo. Espero que a história se repita, já que aquela atuação está entre as três melhores da minha carreira, sem dúvidas", acrescentou.

STRINGER/Reuters
Carlos Lampe ganhou a camisa de Neymar, após grande atuação diante do time de Tite Imagem: STRINGER/Reuters

A atuação diante de Neymar e companhia no fim de 2017 valorizou o goleiro boliviano. Na temporada passada, Lampe acabou contratado pelo Boca Juniors para ocupar a vaga no elenco do então titular Andrada, que se lesionou gravemente em partida contra o Cruzeiro.

O boliviano entrou no lugar do argentino na lista da Copa Libertadores, mas não somou um minuto em campo com a camisa xeneize. A passagem pelo Boca, entretanto, agregou experiência em um cenário mais competitivo, segundo o próprio goleiro, e um encontro com Antoine Griezmann, depois do amistoso contra a França, disputado no último dia 2.

O renomado jogador francês ganhou uma camisa do Boca e posou para foto com o goleiro boliviano, também destaque do amistoso com boas defesas, apesar da derrota por 2 a 0. A atuação diante dos atuais campeões mundiais embala Lampe, que prevê um desafio semelhante ao de outubro do ano de 2017 no jogo desta sexta no Morumbi.

"Imagino que seja um jogo em que eu tenha muito trabalho. Pode ser algo igual ao jogo de La Paz em 2017 [sorri]", prevê o goleiro boliviano, cheio de elogios ao rival da estreia, que não terá Neymar durante todo o torneio - o camisa 10 acabou cortado por lesão.

"Vamos enfrentar um dos melhores times do Brasil dos últimos tempos - só ver como acabaram a eliminatória passada. É um time que pressiona bem e joga bem, fora que tem a magia dos brasileiros no ataque. Temos que jogar com intensidade, tratar de ter a bola para diminuir o ritmo deles e criar oportunidades de gol", encerrou.

Depois da passagem sem jogos pelo Boca Juniors, Carlos Lampe retornou ao futebol boliviano. O goleiro, que tem contrato com o Huachipato-CHI, está emprestado para o San José-BOL e enfrentou o Flamengo duas vezes na atual edição da Copa Libertadores da América.

Mais Esporte