Topo

Brasileirão - 2019


Botafogo vira sobre o Athletico em jogo marcado por protagonismo do VAR

Do UOL, no Rio de Janeiro

11/08/2019 18h01

Em jogo muito movimentado no Nilton Santos, o Botafogo venceu o Athletico por 2 a 1. Os paranaenses abriram a contagem com Thonny Anderson, mas levaram a virada com Luiz Fernando e Diego Souza. De cabeça, Diego Souza virou o jogo, mas o árbitro de vídeo apontou toque de mão de Carli. Minutos depois, Douglas Marques das Flores foi novamente ao VAR e deu pênalti em Lucas Campos. Na cobrança, o camisa 7 marcou.

O Rubro-negro começou a partida a mil e colecionou chances para liquidar a fatura. Após empatar, o Alvinegro foi superior e aproveitou melhor as chances para faturar os três pontos, que estiveram ameaçados até os acréscimos, quando um possível pênalti para o Furacão foi analisado (e não anotado) no monitor.

O Bota encara no próximo sábado o Corinthians, na arena do rival, às 17h. O Furacão, por sua vez, tem uma missão pela Copa do Brasil antes de voltar ao Brasileiro. Na próxima quarta, a equipe visita o Grêmio, 21h30, pelo jogo de ida da semifinal da competição.

Quem foi bem: Gatito faz milagres

A história da vitória alvinegra não pode ser contada sem a ajuda do goleiro paraguaio. O jogador foi muito exigido e esteve sempre presente para salvar a equipe em arremates frontais do Athletico.

Quem foi mal: Cícero desaparece entre atleticanos

O meia Cícero foi figura apagada em campo. Com o rival absolutamente soberano em grande parte da etapa inicial, o jogador ficou encaixotado entre os rubro-negros e não conseguiu levar a equipe ao ataque. Ele subiu de produção junto com o time, mas não repetiu boas atuações anteriores.

Diego Souza decisivo

Após um início tímido, o astro alvinegro disse a que veio na etapa final. Primeiro, marcou de cabeça, mas o gol foi invalidado pelo VAR. Minutos depois, o árbitro de vídeo apontou pênalti a favor do Bota. Na cobrança, deslocou o goleiro e virou a partida.

Goleiro Caio se complica e se redime

Substituto de Santos na meta do Athletico, Caio teve uma tarde atrapalhada no Rio de Janeiro, já que o Botafogo levou perigo nas vezes em que chegou efetivamente. No lance do gol de Luiz Fernando, erro na saída de gol. Já na jogada seguinte, o jogador perdeu dividida para Bochecha e quase entregou o ouro para a virada. No segundo tempo, fez defesa difícil e salvou a equipe em conclusão de Luiz Fernando.

Botafogo cresce após início ruim

O Botafogo foi pego de surpresa pela pressão inicial promovida pelo adversário. Quando era totalmente inferior em campo, contou com uma falha do goleiro para empatar. A partir daí, a equipe igualou o jogo e chegou a acertar o travessão em cabeçada de Carli. O gol acendeu o Alvinegro, que tomou as rédeas da partida e foi em busca da virada. A equipe adotou uma postura mais agressiva, criou chances, mas pecou na hora de concluir em gol. Com a intervenção do VAR, a superioridade alvinegra foi premiada.

Athletico mantém estilo, mas cai na partida

Mesmo com um time totalmente desfigurado, o Athletico manteve as características da sua equipe principal. Com transição, velocidade e muita intensidade, os visitantes imprensaram os donos da casa em seu campo de defesa e bombardearam Gatito, que teve de se virar para evitar o pior. O time sofreu o empate em lance isolado e deixou o rival ganhar espaço. Os comandados de Tiago Nunes tiraram o pé do acelerador e viram os alvinegros ditarem o ritmo do confronto.

Cronologia

Após um bate e rebate na área, a bola sobrou para Thonny Anderson, que abriu o placar aos 15 minutos do primeiro tempo. Aos 30 da etapa inicial, o goleiro Caio se enrolou na hora de cortar o cruzamento e Luiz Fernando cabeceou para o gol vazio. Aos 15 da etapa final, Diego Souza resvalou de cabeça, bateu em Carli e entrou. Após consulta ao VAR, o juiz viu toque na mão do argentino. Minutos depois, novamente a tecnologia em cena. O árbitro foi consultar o monitor e apontou pênalti em Lucas Campos. Cobrança e gol de Diego Souza para virar. Já nos acréscimos, ainda houve uma análise de um eventual pênalti para os rubro-negros. Para alívio alvinegro, a penalidade não foi marcada.

Gramado "feio"

A administração do Nilton Santos fez o replantio de várias áreas do campo ontem. O resultado foi um aspecto de "queimado" em diversas partes do gramado da casa alvinegra.

Papais homenageados

O Botafogo entrou em campo com camisas com os nomes de pais alvinegros estampados nas costas. As crianças que entraram em campo com os jogadores, receberam o presente com a homenagem a seus pais eternizada no uniforme alvinegro.

BOTAFOGO X ATHLETICO

Data e hora: 11/08/2019 (domingo), às 16h (Brasília)
Local: Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Douglas Marques das Flores (SP)
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro (SP) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)
Árbitro de vídeo: Marcio Henrique de Gois (SP)
Cartões amarelos: João Paulo, Rodrigo Pimpão (BOT); Léo Cittadini (CAP)
Cartões vermelhos:
Gols:
Thonny Anderson, aos 15 minutos do primeiro tempo; Luiz Fernando, aos 30 minutos do primeiro tempo; Diego Souza, aos 31 minutos do segundo tempo.

Botafogo
Gatito; Marcinho, Joel Carli, Marcelo Benevenuto (Kanu) e Gilson; Bochecha (Jean), Cícero, João Paulo; Rodrigo Pimpão (Lucas Campos), Luiz Fernando e Diego Souza
Técnico: Eduardo Barroca

Athletico-PR
Caio; Madson, Lucas Halter, Pedro Henrique, Abner Vinícius; Rossetto, Léo Cittadini (Pedrinho), Lucho González (Erick), Tomás Andrade (Vitinho) e Braian Romero; Thonny Anderson
Técnico: Tiago Nunes