'Nem Deus agradou a todos', diz Rafael Vaz após erro no Flamengo

A delegação do Flamengo desembarcou no início da tarde desta quinta-feira (16) no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro. Os jogadores e a comissão técnica do Rubro-Negro voltaram do Chile após a derrota por 1 a 0 para a Universidad Católica. O zagueiro Rafael Vaz conversou com a imprensa no saguão. Ele teve uma atuação questionável em Santiago, mas considerou não ter cometido erros decisivos.

"Não foi uma má atuação. Se não fosse aquela bola parada, não tínhamos perdido o jogo. A não ser essa recuada minha, não cheguei a ter falhas que foram decisivas. Então, não foi uma partida 'drástica', mas também não foi 100%", disse o defensor, que explicou o lance em que ele deu um "presente" para o atacante Santiago Silva, que desperdiçou.

"Infelizmente, eu fui recuar a bola para o Muralha, mas não olhei antes. Foi só um lance, bem atípico. Mas acontece. Estou bem tranquilo e agora é voltar aos trabalhos. Final de semana tem jogo".

Vaz falou ainda sobre o seu estilo de jogo. Ele errou oito lançamentos na partida contra os chilenos, mas disse que a saída de bola é um pedido do técnico Zé Ricardo.

"O professor pede sempre para eu sair jogando, ele pede para que eu não pare de fazer o meu jogo. Procuro fazer o que o meu treinador pede. Às vezes vai dar certo e às vezes vai dar errado. Infelizmente, uma hora dá errado e outra dá certo. Estou aqui para segurar qualquer coisa".

Em outra pergunta sobre o tema, Vaz foi questionado se era adepto do "chutão". Ele respondeu e seguiu para o ônibus do Flamengo.

"É engraçado. Se a gente tentar dar um chapéu e erra, é culpado. Se a gente dá chutão, também é culpado. A gente não sabe mais o que fazer para agradar. Mas se nem Deus agradou a todos, quem sou eu para agradar?", encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos