Topo

MMA


Por que Jon Jones x Alexander Gustafsson é um duelo épico no UFC

AP Photo/The Canadian Press, Mark Blinch
Jon Jones e Gustafsson posam como adversários antes da luta histórica de 2013 Imagem: AP Photo/The Canadian Press, Mark Blinch

Vinicius Castro

Do UOL, em Los Angeles (EUA)

27/12/2018 04h00

Ainda que uma confusão de última hora envolvendo Jon Jones tenha tirado o UFC 232 de Las Vegas, o evento de sábado (29), no The Forum, em Los Angeles, tem todos os ingredientes para entrar na galeria dos momentos épicos da franquia. O duelo pelo título dos meio-pesados entre o norte-americano e o sueco Alexander Gustafsson já faz parte da história do MMA. O novo capítulo, claro, é aguardado pelos fãs.

Como se não bastassem a volta de Jon Jones após longo gancho por doping - lutou pela última vez em 29 de julho de 2017 - e a polêmica em razão de um novo exame ter encontrado resquícios de turinabol em seu organismo, o adversário será o da eleita melhor luta do ano de 2013.

Talvez venha daí o esforço do presidente Dana White para que a dupla se encontrasse no retorno de Jones. Tanto que um evento inteiro foi transferido para Los Angeles, não um combate cancelado ou um lutador substituído. Os torcedores, dirigentes e lutadores querem a repetição daquilo que ocorreu em 21 de setembro de 2013.

No UFC 165, em Toronto, os dois protagonizaram uma das maiores lutas da história do evento. Jones manteve o cinturão após cinco rounds sangrentos. Venceu por pontos - decisão unânime -, mas apanhou muito, levou sufoco e claramente viu de perto a possibilidade de deixar o domínio da categoria.

Aquela noite fez Gustafsson ser respeitado no mundo do MMA e visto como um dos grandes da divisão. O sueco promoveu a cena inédita de um "imbatível" Jon Jones sangrando e desnorteado em alguns momentos. Foi assim até o terceiro round, quando o norte-americano começou a dar as cartas. No quarto round, Jones por pouco não nocauteou o oponente.

Naquele momento, a arena já delirava com dois lutadores de nível altíssimo em um combate franco. Gustafsson ganhou a simpatia dos torcedores, que vaiaram quando a decisão em favor de Jon Jones foi anunciada. Desde então, se espera a revanche. Alguns, inclusive, já se empolgam com a possibilidade de uma trilogia, digna dos grandes protagonistas da franquia.

Não há dúvida de que será mais um encontro épico. As provocações já começaram e ganharam ainda mais peso depois que Jon Jones precisou lutar na Califórnia em seu retorno por conta da polêmica com o turinabol.

Gustafsson terá a terceira chance de conquistar o cinturão meio-pesado do UFC. Além de Jones, ele também perdeu para Daniel Cormier. O sueco soma 18 vitórias e quatro derrotas. O norte-americano acumula 22 triunfos, um revés e uma luta sem resultado. Uma nova página na carreira de cada um deles será escrita em Los Angeles.

UFC 232
29 de dezembro de 2018, em Los Angeles (EUA)

Card principal
Meio-pesado: Jon Jones x Alexander Gustafsson
Pena: Cris Cyborg x Amanda Nunes
Meio-médio: Carlos Condit x Michael Chiesa
Meio-pesado: Ilir Latifi x Corey Anderson
Pena: Chad Mendes x Alex Volkanovski

Card preliminar
Pesado: Andrei Arlovski x Walt Harris
Pena: Cat Zingano x Megan Anderson
Galo: Douglas D'Silva x Petr Yan
Leve: B.J. Penn x Ryan Hall
Galo: Nathaniel Wood x Andre Ewell
Médio: Uriah Hall x Bevon Lewis
Médio: Curtis Millender x Siyar Bahadurzada
Galo: Montel Jackson x Brian Kelleher