Topo

MMA


UFC fará eventos em 2 novos países da América do Sul e tem planos no Brasil

José Aldo em luta contra Chad Mendes no UFC Rio 5: organização planeja mais um evento no Brasil em 2019 - Alexandre Loureiro/inovafoto
José Aldo em luta contra Chad Mendes no UFC Rio 5: organização planeja mais um evento no Brasil em 2019 Imagem: Alexandre Loureiro/inovafoto

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

10/05/2019 11h00

O UFC irá expandir seu território na América do Sul. Embora ainda não revele os locais, a organização de MMA confirmou que ainda em 2019 dois novos países do continente receberão o principal evento de artes marciais mistas do mundo.

As suspeitas recaem para o Uruguai e o Paraguai. Além disso, o Brasil ainda receberá pela terceira vez a competição este ano depois de Fortaleza, em fevereiro, e Rio, agora. São Paulo é a favorita para ser a próxima.

Vice-presidente sênior do UFC, David Shaw, porém, prefere não entrar em detalhes.

"Este ano nós temos três eventos no Brasil e também outros dois eventos na América Latina. Ainda não anunciamos o terceiro evento no Brasil e nem os dois na América Latina. Queremos continuar com os planos de atingir novos países. Provavelmente será um novo território, que nunca estivemos antes. Será muito animador estar em uma nova região", declarou o executivo com exclusividade ao UOL Esporte.

Vice-presidente do UFC, David Shaw revelou que organização elabora "conteúdo local" para o Brasil - Bruno Braz / UOL Esporte
Vice-presidente do UFC, David Shaw revelou que organização elabora "conteúdo local" para o Brasil
Imagem: Bruno Braz / UOL Esporte

Além dos eventos no Brasil, o UFC elabora outros tipos de produtos para atrair os fãs de MMA brasileiros. Um, inclusive, deverá envolver o ex-campeão dos pesos-pesados Rodrigo Minotauro, que atualmente é embaixador da organização no país.

"Vamos continuar construindo nossa oferta para os fãs e aumentar os conteúdos de ofertas. Temos vários novos projetos por vir. Teremos um conteúdo local para chamar a atenção da audiência aqui. Acho que muitas das nossas estratégias serão construídas em volta de oportunidades e sucessos que os lutadores brasileiros terão", avaliou Shaw.

O executivo lembrou da participação maciça dos lutadores brasileiros nos cards e deu a entender que não se mostra preocupado com o mercado do UFC no país:

"Já falamos sobre isso, mas todos os nossos pay-per-views terão a participação de brasileiros no main event (evento principal). Temos muitos eventos grandes para brasileiros e isso nos ajuda a construir uma oferta de conteúdo boa. Estamos muito animados".

Aldo e Anderson Silva impulsionam vendas no Rio

Diferentemente do UFC Rio 9 - que teve Amanda Nunes defendendo o cinturão e a presença de público foi frustrante - o UFC Rio 10 tem realizado uma boa venda e a maioria dos setores já está esgotado, o que faz com que o evento prometa casa cheia na Jeunesse Arena (RJ) neste sábado (11).

Muitos apontam que, mesmo não sendo mais campeões, Anderson Silva e José Aldo ainda atraem multidões no Brasil, fato que fez David Shaw se render em elogios à dupla.

"É muito impressionante, mas não uma surpresa por tudo o que eles vêm fazendo para construir não só o UFC e as artes marciais no Brasil, mas também ao redor do mundo. Vão ficar gravados na história. Vai ser algo que todo mundo irá lembrar. Ninguém vai esquecer o nome desses caras enquanto as artes marciais estiverem em operação, o que é muito animador. A gente não está surpreso e é muito legal ver como eles ainda trabalham sério nos eventos e nas lutas que eles têm pela frente. Eles realmente acreditam, e eu concordo, que eles lutando dessa forma, continuando a vencer, chegarão ao cinturão e ganharão o campeonato", disse o executivo.