Topo

Esporte


CAS mantém pena mínima e Cielo está liberado para Mundial e Londres-2012

EFE/PATRICK B. KRAEMER
Cesar Cielo treina em Xangai antes de receber a decisão do CAS sobre o doping Imagem: EFE/PATRICK B. KRAEMER

Do UOL Esporte

Em São Paulo

2011-07-21T06:59:00

21/07/2011 06h59

Cesar Cielo está liberado para disputar o Mundial de Esportes Aquáticos e os Jogos Olímpicos de Londres-2012. A rigorosa CAS (Corte Arbitral do Esporte) acatou nesta quinta-feira a pena mínima determinada pela CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos) e apenas advertiu o nadador brasileiro flagrado em exame antidoping, negando o pedido feito pela Fina de suspensão por três meses. Após 21 dias de crise e silêncio, o campeão olímpico alcança um desfecho favorável.

Cielo e outros três nadadores testaram positivo para a furosemida, um diurético famoso por mascarar outras substâncias em exame realizado em maio no Troféu Maria Lenk. O resultado foi divulgado em 1º de julho junto com a advertência determinada pela CBDA. O caso foi levado à Fina (Federação Internacional de Natação), que não concordou com a decisão e acionou a CAS.

Cielo treina para o Mundial em Xangai
Veja Álbum de fotos

Nesta quinta-feira uma comissão da CAS formada pelo canadense Alan Sullivan, o suíço Olivier Carrard e o norte-americano Jeffrey Benz  decidiu manter apenas as advertências a Cesar Cielo, Henrique Barbosa e Nicholas Santos, enquanto Vinícius Waked, reincidente, acabou sendo o único sancionado pelo órgão e recebeu a suspensão de um ano das competições.

PRINCIPAIS TRECHOS DA DECISÃO DA CAS

"No dia 7 de julho de 2011, a Federação Internacional de Natação (Fina) apelou da decisão da CBDA e pediu à CAS uma suspensão aos atletas (três meses para Cielo, Nicholas e Henrique, e um ano para Vinicius Waked)"
"O painel da CAS (...) decidiu não aceitar o apelo feito pela Fina contra Cesar Cielo, Nicholas Santos e Henrique Barbosa e confirmar a advertência aplicada pela CBDA. O painel mantém o apelo da Fina contra Vinicius Waked e o suspende por um ano pelo segundo resultado positivo no antidoping"
"Os atletas se defenderam alegando que a presença da furosemida foi causada por uma contaminação de um suplemento de cafeína que eles já usavam sob prescrição"

A corte acelerou o processo a pedido de ambas as partes e encerrou o caso nesta quinta-feira. A decisão é em instância final na esfera esportiva. A única alternativa para barrar a sentença é recorrer ao Tribunal Federal Suíço, que pode apenas anular todo o julgamento ou manter sua validade – que não deve ocorrer.

No dia 1º de julho, os nadadores brasileiros Cesar Cielo, Henrique Barbosa, Nicholas Santos e Vinícius Waked receberam apenas uma advertência após terem sido flagrados em exame antidoping com a substância Furosemida, um diurético. A alegação dos nadadores foi a contaminação em laboratório de suplementos de cafeína, justificativa aceita pela CBDA e agora também pela CAS, que negou o pedido da Fina por uma suspensão maior.

Além do alivio, é uma motivação a mais para a garotada que já estava focada para uma competição dificílima. O dia inteiro foi muito desgastante, o resultado dos três nos satisfaz

Ricardo de Moura, supervisor técnico da CBDA, em entrevista ao Sportv

Como já havia sido suspenso por doping em fevereiro de 2010, Vinicius Waked acabou não tendo a mesma decisão dos outros nadadores e pela reincidência ficará um ano sem poder competir.

Antes da decisão da CAS, Cesar Cielo se mostrou tranquilo, exibiu sorrisos e treinou ao lado dos outros três brasileiros julgados por doping para a disputa do Mundial em Xangai, onde busca o bicampeonato dos 50 m e 100 m livre. Os nadadores ainda não se pronunciaram sobre o caso.

“Apresentamos nossas provas para mostrar que houve apenas um erro. E os árbitros acreditaram que os atletas foram cuidadosos no procedimento. Ontem estávamos confiantes [depois de quase 6h de julgamento] porque nossa explicação foi verdadeira. Os atletas estavam confiantes e também nervosos”, disse o advogado de Cielo, o norte-americano Howard Jacobs, ao Sportv.

CONFIRA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS DO CASO CIELO

Cesar Cielo fez uma única aparição pública desde a divulgação do resultado positivo de exame antidoping. A reclusão do campeão olímpico e mundial incluiu ainda mudança de local de treino e fuga da imprensa no embarque da equipe brasileira rumo a Macau para período de aclimatação. Toda essa decisão pessoal divide opiniões, mas especialistas concordam que o nadador brasileiro mostrou uma postura madura e profissional na crise.
Cesar Cielo escolheu Howard Jacobs para defendê-lo na CAS (Corte Arbitral do Esporte) em julgamento marcado para o dia 20 em Xangai, na China. O advogado norte-americano coleciona sentenças famosas por doping e tem em sua lista de clientes os ex-velocistas Marion Jones e Tim Montgomery, o ciclista Floyd Landis e a nadadora Jessica Hardy. Mesmo com o histórico de punições emblemáticas, ele demonstra, em entrevista ao UOL Esporte, otimismo para o caso do campeão olímpico e mundial.
A seleção brasileira de natação embarcou nas primeiras horas desta segunda-feira para período de aclimatação em Macau. Cesar Cielo não. O campeão olímpico e mundial evitou a imprensa e antecipou o voo em um dia.
A farmácia de manipulação Anna Terra, utilizada pelo nadador Cesar Cielo, trabalha em boas condições de higiene e segue satisfatoriamente as práticas contra a contaminação de cápsulas, “não oferecendo danos à saúde dos consumidores”. A conclusão partiu da vigilância sanitária de Santa Bárbara D’Oeste após inspeções realizadas no local na última semana. Saiba mais

 

Mais Esporte