Topo

Tênis

Calor de 40º faz tenista passar mal na Austrália, mas nova regra só em 2019

Paul Crock/AFP
Alize Cornet passa mal durante jogo contra Elise Mertens Imagem: Paul Crock/AFP

Do UOL, em São Paulo

19/01/2018 10h33

Na rodada desta sexta-feira (19) do Aberto da Austrália, a temperatura ambiente chegou aos 40º e fez a tenista Alize Cornet passar mal durante partida contra Elise Mertens. Mesmo assim, a organização do Grand Slam afirmou que as regras sobre o calor só podem ser alteradas no ano que vem.

O debate sobre a temperatura durante os jogos já havia sido levantado antes mesmo de Cornet passar mal. Nessa quinta-feira (18), Novak Djokovic reclamou do calor após vencer Gael Monfils.

"Eu meio que senti que poderia desmaiar a qualquer momento. Jogar nessa condição é, naturalmente, muito perigoso para a saúde do jogador. Eu acho que esse limite deve ser um pouco menor, porque jogar nesta condição não é bom para ninguém", disse Cornet, segundo reportagem do jornal inglês "The Guardian".

Diretor do torneio, Craig Tiley defendeu a organização e afirmou que mudanças só podem ser realizadas a partir do ano que vem.

"Proteger os nossos jogadores e a justiça da concorrência é fundamental nestas condições, o que reconhecemos que pode ser desafiador. Trabalhamos em estreita colaboração com nossa equipe médica para garantir que os jogadores sejam educados nas melhores práticas em termos de preparação para as condições e, como sabemos, muito deles vêm cedo para a Austrália para que possam se aclimatar", disse Tiley.

"As condições de jogo são estabelecidas antes do evento, e isso inclui a política do calor extremo. Iniciamos o evento com este conjunto de regras e políticas no local e, no interesse da justiça, não podemos mudá-las no meio. No fim de cada Aberto da Austrália, sempre revisamos nossas políticas e procedimentos e consultamos todas as partes envolvidas. A política de calor extremo não é exceção", completou.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!