Topo

Tênis


Tênis

Feijão volta a ser suspenso por órgão anticorrupção e abandona torneio

Matt Rourke/AP
Imagem: Matt Rourke/AP

Rubens Lisboa*

Colaboração para o UOL

2019-04-18T17:24:14

18/04/2019 17h24

O tenista brasileiro João Souza, o Feijão, voltou a ser suspenso hoje pela Unidade de Integridade do Tênis (TIU, sigla em inglês), órgão que trabalha contra a corrupção no tênis, e está novamente impedido de competir e comparecer a torneios no circuito profissional.

A informação foi confirmada ao UOL Esporte pelo advogado do tenista, Michel Assef Filho, que ainda aguarda a notificação oficial da TIU para apresentar nova defesa.

"A gente recebeu. Na verdade, esse comunicado deve estar chegando para mim, mas é o que parece ter acontecido, sim. Então por isso que a gente está aguardando chegar a decisão aqui para a gente", explicou o advogado Michel Assef Filho à reportagem.

"Houve um novo pedido, um pedido suplementar de suspensão, aí eles apresentaram lá alguns motivos e, enfim, isso deve ter saído uma decisão agora. A gente está analisando aqui, já está fazendo contato com o AHO (Oficial de Audiência Anti-Corrupção), que é o agente que cuida dessa demanda lá", completou Assef.

Feijão, de 30 anos, havia sido suspenso no dia 29 de março, em decisão que só se tornou pública no dia 6 de abril, quando um documento sobre a sua suspensão foi publicado no site oficial da TIU. O motivo da suspensão foi a investigação de um jogo de duplas no Challenger de Morelos, no México, no dia 20 de fevereiro deste ano.

A suspensão, porém, havia sido revogada de forma condicional pelo oficial de audiência anticorrupção Richard H. McLaren no último dia 9, depois que o advogado Michel Assef Filho apresentou a defesa do tenista e conseguiu com que ela fosse aceita pelo órgão de integridade.

Feijão voltou a atuar nesta semana, no Challenger de San Luís Potosí, no México. Ele venceu duas partidas na chave de simples contra o mexicano Gerardo Lopez Villasenor, por 7/5, 6/7 (7-4) e 6/3, e diante do egípcio Mohamed Safwat, com parciais de 6/3 e 6/4.

O brasileiro foi derrotado nas duplas na quarta-feira ao lado do argentino Matias Descotte, contra o colombiano Nicolas Mejía e o americano Emilio Nava, por 6/7 (7-0), 6/4 e 10-5.

A programação do torneio mexicano tinha a partida do brasileiro na tarde desta quinta-feira contra o chileno Marcelo Tomas Barrios Vera, pela terceira rodada de simples, mas Feijão acabou obrigado a se retirar da partida e perdeu por W.O. já devido à suspensão retomada pela TIU.

Feijão já foi número 69 do ranking mundial da ATP e representou a equipe brasileira em confrontos da Copa Davis, fazendo inclusive o jogo mais longo da história da competição, em 2015, quando perdeu para o argentino Leonardo Mayer, em Buenos Aires, em 6h42. Atualmente, ele ocupa apenas a 422ª posição no ranking mundial de simples.

O advogado de Feijão terá de aguardar 120 dias para poder apresentar novamente a defesa do tenista. Até que seja aceita a argumentação, a suspensão estará mantida.

A defesa do brasileiro quer tentar adiantar o julgamento do tenista pela TIU, que ainda não tem data marcada. Caso não consiga fazer com que ele seja julgado, eles pretendem recorrer ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS).

*Colaborou Alexandre Cossenza