Topo

MMA

Dana promete não ajudar McGregor a se livrar de problema com a Justiça

Ag. Fight

Ag. Fight

06/04/2018 16h26

O 'media day' do UFC 223 - evento marcado para este sábado (7), em Nova York (EUA) - foi um verdadeiro caos. Quando os lutadores que participaram da conversa com a imprensa na última quinta-feira se preparavam para voltarem ao hotel, Conor McGregor invadiu o local com cerca de 20 homens que fazem parte da 'MacLife' (agência de notícias especializada em conteúdos sobre o irlandês) e arremessaram latas de lixo, grades e outros objetos em direção a van que fazia o transporte dos atletas. Depois da confusão, o irlandês se entregou para as autoridades locais e foi condenado a pagar uma fiança de 50 mil dólares. No entanto, ao contrário de outras ocasiões, 'The Notorious' está sozinho para lidar com as consequências de seus atos.

Após o ocorrido, Dana White repudiou as atitudes de McGregor e revelou que os atletas que estavam dentro do veículo sofreram cortes e ficaram muito assustados. Em entrevista ao site americano 'ESPN', o presidente do UFC garantiu que em uma situação normal tentaria ajudar de todas as maneiras o maior lutador da organização, mas não agirá assim nesse caso. O dirigente também garantiu que esperará a resolução do caso judicialmente antes de ter uma reunião que decidirá o futuro do irlandês no Ultimate.

"Normalmente sim, eu mergulharia direto nisso e faria o que estivesse ao meu alcance para ajudar um dos meus caras. Mas não dessa vez. Ele veio ao Barclays Center, atacou nossos lutadores e a minha equipe com um monte de caras. Não! Você não vai ter minha ajuda nessa. Isso está fora de questão para Conor McGregor e qualquer um dos meus lutadores. Coisas loucas acontecem no esporte, você está lidando com seres humanos que tem vidas pessoais e essas coisas. Mas na história do UFC, essa é a pior coisa que já aconteceu, com toda certeza. Esse não é o Conor McGregor que eu conheço. Não sei dizer se ele lutará no UFC de novo. Estávamos trabalhando em um novo contrato e um novo plano para ele nessa semana, e então ele aparece e isso acontece. Isso nunca aconteceu antes. É uma situação completamente diferente de tudo que eu já vi", lamentou o cartola.

"Precisaremos ver como isso vai se resolver judicialmente, e então vou sentar com ele e conversar. Conor McGregor era um cara que inspirava as pessoas. Sim, ele era presunçoso. Sim, ele era arrogante. Mas ele fazia as coisas que ele falava. Ele ia, dava shows e nocauteava os adversários que ele dizia que nocautearia. Mas ele nunca fez algo desse tipo. Terão pessoas que odiarão Conor McGregor ainda mais e terão pessoas que gostarão dele. Estou muito decepcionado. Ele não só era a maior estrela no UFC, como era a maior estrela do planeta. Ele tem um filho em casa, que é apenas um bebê. Ele tem um futuro brilhante no UFC, pagaríamos um dinheiro absurdo para ele. Ainda tem a possibilidade da revanche com Floyd Mayweather acontecer no UFC, ele era o sonho de qualquer patrocinador. Não tenho como explicar os atos dele", concluiu.

Pelo incidente, McGregor responde, em liberdade, por três acusações: duas por contravenção e uma por crime doloso. O julgamento do campeão dos leves aconteceu nesta sexta-feira (6) e a fiança foi estipulada em 50 mil dólares (aproximadamente R$ 170 mil).

Os atletas que estavam escalados para a edição 223 do show, Michael Chiesa e Ray Borg deixaram o card por lesões causadas pelo caos do irlandês. Outro atleta que não subirá ao octógono depois disso é o amigo do Notorious, Artem Lobov, que foi retirado do evento por fazer parte da confusão.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!