Topo

MMA


Anderson Silva elege luta pelo 1º título mundial como a mais importante

Buda Mendes/Getty Images
Anderson Silva Imagem: Buda Mendes/Getty Images

Ag. Fight

2019-01-15T06:00:57

15/01/2019 06h00

Anderson Silva já derrotou lutadores renomados no UFC, como Dan Henderson, Forrest Griffin, Chael Sonnen e Vitor Belfort, mas foi o duelo contra Hayato Sakurai, em agosto de 2001, no Shooto (evento de MMA japonês), que ele escolheu como o mais importante da sua trajetória no esporte. Na ocasião, o 'Spider' conquistou o seu primeiro título mundial, com apenas 26 anos de idade, após destronar o atleta japonês que, até então, detinha o cinturão da organização.

Além de competir em casa e ser o campeão do evento, Sakurai estava invicto no MMA e já havia derrotado os brasileiros Ademir Oliveira, Marcelo Aguiar, Haroldo Bunn e Luiz Azeredo antes de enfrentar Anderson. Deste modo, o japonês era o favorito para o duelo contra o atleta da academia Chute Boxe que, apesar de também nunca ter sido superado até aquele momento, só havia realizado um combate internacional, contra Tetsuji Kato, em sua estreia no Shooto.

"A luta mais importante da minha carreira foi o meu primeiro título mundial, no Shooto, no Japão, quando eu lutei de 76 kg contra o Hayato Sakurai, antes de lutar no Pride. Venci a primeira luta contra o Tetsuji Kato e me botaram para lutar contra o Sakurai, que tinha dizimado todos os brasileiros contra quem ele tinha lutado. E aí ficou um clima no ar, todos achando que o Sakurai pegaria mais um e iria empacotar. E, quando eu cheguei no evento, tinha uma passarela por onde passavam todos os campeões. E eu deixei minha mochila ali com as minhas coisas, e veio um pessoal do staff do Shooto e disse que eu não poderia deixar as minhas coisas ali, porque ali só passariam os campeões", contou ao canal do Youtube 'Rap 77'.

"E eu não tinha pego o espírito do negócio, aí o treinador que estava comigo disse: 'Deixa suas coisas aqui, porque você vai voltar por aqui'. Quando ele falou isso, eu peguei a visão. Aí, beleza, nos chamaram para entrar e subiram as duas bandeiras. Primeiro a do Japão e depois a do Brasil. E começa o hino nacional do Japão e, em seguida o do Brasil. Nesse momento, foi o momento em que eu realmente entendi a responsabilidade que eu tinha com o meu país. E pensei: 'Caramba, o negócio é sério mesmo'. E eu comecei a ficar nervoso, porque era o meu primeiro título mundial. Brasil vs. Japão. Então pensei: 'E agora?'. Mas fiz o que treinei e foi uma luta incrível. (...) Essa é a melhor luta, para mim. A maior de todas", completou.

Depois de chegar ao topo no Shooto, Anderson ainda fez algumas lutas no Pride antes de conquistar os cinturões do Cage Rage e do UFC. O 'Spider' se tornou campeão da maior organização de MMA do planeta em 2006, após nocautear Rich Franklin, título que manteve até 2013, quando foi destronado por Chris Weidman. Desde então, ele não conseguiu mais obter a sequência vitoriosa de outros tempos, já que superou apenas um dos últimos seis oponentes que teve no Ultimate.

No entanto, Anderson poderá ter uma nova oportunidade de voltar a fazer história no MMA. Sem lutar desde 2017 - quando foi suspenso por um ano após novo flagra em exame antidoping -, o paulistano volta ao octógono no dia 9 de fevereiro, contra Israel Adesanya, no UFC Melbourne. Caso ele derrote o nigeriano na Austrália, Dana White (presidente do Ultimate) garantiu que ele terá a oportunidade de novamente disputar o cinturão dos médios (84 kg) da organização. Ao longo da carreira profissional no MMA, o 'Spider' acumulou, até então, 34 vitórias, oito reveses e uma luta sem resultado.