Topo

Esporte


Melhor brasileiro dos últimos tempos, Di Grassi vê falta de reconhecimento

Divulgação
Lucas di Grassi Imagem: Divulgação

Julianne Cerasoli

Do UOL, em Melbourne (AUS)

2019-03-15T04:00:00

15/03/2019 04h00

Ele pode ser considerado o melhor piloto brasileiro dos últimos anos. Mas o nome de Lucas Di Grassi não costuma ser manchete pelo país. O piloto credita isso à menor visibilidade dada aos campeonatos que disputou nos últimos anos, mas comemora a forma como tem conseguido unir a velocidade com a experiência.

Os resultados falam por si: nos últimos quatro anos, Di Grassi sempre esteve entre os três primeiros em todas as temporadas que a F-E disputou, tendo sido campeão em 2016-2017, e de quebra foi segundo no Mundial de Endurance de 2016. Por conta disso, nos últimos três anos, foi o brasileiro mais bem colocado na votação dos melhores do ano da respeitada publicação Autosport, da Inglaterra.

"Acho que estou evoluindo na minha carreira. Mantenho a mesma determinação e velocidade que tinha quando era jovem mas hoje, com a experiência, consigo controlar uma série de outros fatores que não conseguia controlar antes. Tenho sido eleito o melhor piloto do Brasil e tido uma repercussão muito boa", disse Di Grassi ao UOL Esporte.

"É lógico que as categorias em que eu corro, LMP1 e Fórmula E, são muito menores no Brasil em comparação com a Fórmula 1 em termos de mídia. E isso acontece mais no Brasil do que no resto do mundo. Por conta disso, o retorno de mídia talvez não seja tão alto, mas fico muito feliz de poder representar meu país de uma forma boa nos últimos anos."

Em 2018, Di Grassi ficou em 16º na votação da Autosport e foi o único brasileiro citado no top 40 da lista dos 50 melhores do ano. No ano anterior, ele tinha sido o 24º.

Já neste ano, depois de um início de campeonato difícil para a Audi, que terminou o ano passado como a melhor equipe do grid, Di Grassi venceu o emocionante e-Prix da Cidade do México com uma ultrapassagem quase em cima da linha de chegada e foi o segundo na etapa seguinte, em Hong Kong. Com isso, ele é atualmente o terceiro no campeonato, a dois pontos do líder Jerome D?Ambrosio.

"A gente agora passa do primeiro terço do campeonato e foi bom ter um segundo resultado consistente, o segundo pódio seguido. Para nós, é muito importante manter esse tipo de resultado", disse o piloto.

A próxima etapa do campeonato da Fórmula E será dia 23 de março, na estreia da categoria em Sanya, na China.

Mais Esporte