Topo

Fórmula 1

Em último suspiro na McLaren, Ron Dennis vende ações e fatura R$ 1,2 bi

Robert Cianflone/Getty Images
CEO da McLaren, Ron Dennis, no GP da Austrália de 2014 Imagem: Robert Cianflone/Getty Images

Do UOL, em Londres (ING)

30/06/2017 05h37

Mais de seis meses depois de ser demitido do comando da operação de Fórmula 1 da McLaren, o que ocorreu após uma briga judicial com os demais acionistas, Ron Dennis vendeu o restante de suas ações na equipe que comandou por mais de 35 anos. O valor do negócio seria de 275 milhões de libras esterlinas, o equivalente a quase R$ 1,2 bilhão.

Dennis tinha mantido o cargo de diretor do Grupo McLaren, que compreende a equipe de F-1, uma empresa de tecnologia e a fabricante de carros e 25% das ações. Com a saída, a McLaren anunciou que vai unir o grupo de tecnologia e a montadora de carros, tendo como líder o xeque barenita Mohammed Bin Essa Al Khalifa

A perda do status de CEO do Grupo McLaren já havia ocorrido no final do ano passado e, desde então, Dennis não voltou a figurar no paddock da F-1, e foi substituído na equipe pelo norte-americano Zak Brown, que tem mudado a cara do time e adotado técnicas de marketing agressivas, como a participação nas 500 Milhas de Indianápolis neste ano.

Também não houve anúncio de qual será o destino das ações de Dennis, mas o mais provável é que elas sejam distribuídas entre os demais acionistas.

Dennis se disse muito contente por ter chegado a um acordo com os demais acionistas. "Isso representa um final digno para meus anos de McLaren e vai permitir que eu foque em outros interesses. Sempre disse que meus 37 anos trabalhando em Woking deveriam ser considerados um capítulo no livro da McLaren e espero que o a empresa tenha sucesso para levar essa história adiante", disse o britânico, em comunicado.

"Vou continuar a prestar consultoria a várias companhias e trabalhar com o Ministério de Defesa e Inovação do Reino Unido para ajudar a melhorar a tecnologia, cultura e as organizações que cuidam na segurança nacional do país. Também vou seguir cuidando da fundação de caridade de minha família, que foca em financiar crianças e jovens em quaisquer carreiras que escolherem. Foi trabalhar com Lewis Hamilton que me inspirou a fundar a Dreamchasing."

Dennis disse ainda que, com o grupo que está atualmente na empresa, a McLaren "está em condições ideais de aumentar o sucesso com que eu tenho orgulho de ter contribuído durante o tempo em que liderei um grande grupo empresarial britânico.“

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!