Topo

Fórmula 1

Vietnã? Hamilton preferia ter corridas extras em países com tradição na F1

Maxim Shemetov/Reuters
Imagem: Maxim Shemetov/Reuters

Do UOL, em São Paulo

13/11/2018 22h21

A decisão da Fórmula 1 de incluir o Vietnã no calendário a partir de 2020 não agrada totalmente a Lewis Hamilton. Campeão desta temporada, o piloto da Mercedes deu a entender que gostaria mais de ter corridas extras em países com tradição no automobilismo.

"Nós temos muita história com automobilismo na Inglaterra, Alemanha, Itália... E agora os Estados Unidos estão crescendo. Mas nós só temos um evento por ano em cada um destes países. Se a Fórmula 1 fosse um negócio administrado por mim, eu tentaria fazer mais eventos nestes países", disse o britânico em entrevista à BBC.

"Eu já fui ao Vietnã, e é lindo. Já corri na Índia e foi estranho, porque a Índia é um país muito pobre e nós tínhamos um autódromo enorme no meio do nada. Eu senti um conflito muito grande dentro de mim quando fomos correr lá. Nós tínhamos o GP da Turquia e quase ninguém ia. Pista legal, fim de semana legal, mas pouco público", completou.

Para Hamilton, o ideal seria ter mais de uma corrida nos países tradicionais. No caso da Alemanha, que já tem o GP de Hockenheim, ele sugere a criação de uma prova extra em Berlim; na Inglaterra, que já tem o tradicional circuito de Silverstone, ele gostaria de ter a chance de correr também em Londres.

"Se tivéssemos o GP da Alemanha [em Hockenheim] e outro em Berlim, conectaríamos duas cidades com grande público. Isso seria bom, não necessariamente viajar a países em que as pessoas não conhecem tanto sobre a Fórmula 1. Se tivéssemos Silverstone e Londres, seria muito legal", avaliou Hamilton.