Cueva deixa Morumbi irritado e diz: "Fala com o Rodrigo Caio"

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

O clima no São Paulo esquentou depois do empate por 2 a 2 com a Ponte Preta, no Morumbi. Depois de atuar poucos minutos, após brilhar com a camisa da seleção peruana durante os jogos pelas eliminatórias, Cueva deixou o Morumbi irritado e foi um dos primeiros atletas a deixar o estádio.

Ao ser chamado pelos jornalistas para conversar na zona mista depois do tropeço diante do clube de Campinas, o peruano reagiu de uma maneira inesperada. "Fala com o Rodrigo Caio"

A irritação do peruano foi exposta antes mesmo da passagem relâmpago pelos jornalistas na saída do estádio. Assim que a arbitragem encerrou a partida, Cueva jogou os braços para cima e saiu correndo rumo aos vestiários, sem conversar com a imprensa ainda no campo.

A menção de Cueva a Rodrigo Caio ocorre dois dias depois de o zagueiro cobrar publicamente o peruano no São Paulo. Em entrevista na última quinta-feira, o defensor campeão olímpico com a seleção brasileira pediu uma mudança de postura do meia.

"É difícil desempenhar o melhor, muito pelo momento que a gente vive, ainda mais para ele, que é o nosso camisa 10 e articula todas as jogadas. Ele tem a consciência que precisa melhorar. De alguma maneira, a gente tenta ajudar, mas ele também precisa querer se ajudar", afirmou em entrevista coletiva.

Neste sábado, por outro lado, Rodrigo Caio preferiu não falar. O zagueiro, ao ser chamado pelos jornalistas, negou qualquer pedido de entrevista e saiu em silêncio do Morumbi.

A opinião de Rodrigo Caio é compartilhada por parte do elenco do São Paulo. Conforme mostrou a coluna De Primeira no último dia 30, alguns jogadores se incomodaram com a recente postura do camisa 10 – tanto dentro quanto fora das quatro linhas do gramado.

Apesar da menção de Rodrigo Caio na semana e na resposta de Cueva deste sábado, o técnico Dorival Junior tratou de amenizar o clima entre os jogadores. Em entrevista concedida depois do 2 a 2, o comandante negou qualquer problema de relacionamento.

"Em momento nenhum você vê um grupo 'rachado'. Você vê um grupo querendo e buscando o resultado. A partir do pênalti, você vê uma mudança no jogo. Não vi uma equipe 'rachada', vi uma equipe lutando e buscando o jogo, não uma equipe frustrada", afirmou Dorival Junior.

"Isso aí que me vocês me trazem [a fala de Cueva na zona mista] será trabalhado internamente ao invés de culpar um ou outro jogador. (...) É uma situação assim: tudo que eu fale agora vai expor alguém. Esses problemas têm que ser resolvidos lá dentro. E um problema nessa hora pode ser desnecessário" sentenciou o comandante são-paulino.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos