Azar no jogo, sorte na Justiça? Sucesso em tribunais alivia ano palmeirense

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Eduardo Knapp/Folhapress

    Torcida palmeirense, que poderia ser punida, acabou absolvida pelo tribunal na semana passada

    Torcida palmeirense, que poderia ser punida, acabou absolvida pelo tribunal na semana passada

Em uma temporada ainda sem títulos e frustrante pelos resultados em campo, o Palmeiras colecionou vitórias fora das quatro linhas, mais precisamente nos tribunais. No ano de 2017, o departamento jurídico do clube somou triunfos importantes que aliviaram o peso do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) durante a campanha do time na Série A.

Não fosse esse sucesso jurídico, o técnico Cuca, por exemplo, poderia perder Willian por até 12 partidas pelo pisão nas partes íntimas do atleticano Valdivia. O artilheiro da equipe no ano com 15 gols, no entanto, recebeu apenas um jogo de castigo e viu se encerrar o risco de ser afastado por quase todo o restante da temporada.

A outra vitória recente que simboliza o alívio em relação ao tribunal ocorreu na semana passada. Por uma confusão com a torcida do Sport, palmeirenses foram inicialmente punidos com 14 jogos fora dos estádios pela comissão disciplinar do tribunal. No julgamento definitivo, porém, o departamento jurídico transferiu o peso esportivo para o criminal, e o clube vai contar normalmente com o seu público.

A situação é muito diferente do que aconteceu no ano passado, quando o STJD pesou sobre a torcida palmeirense. Na campanha do título brasileiro, um confronto com flamenguistas em Brasília fez a principal organizada do clube ficar afastada por dez jogos (cinco em casa e cinco fora), justamente quando o time de Cuca se firmava como principal postulante ao título nacional. "No afã de querer melhorar o futebol, o STJD tentou achar uma solução, mas está mais do que comprovado que não é a solução. (...) Gostaria que eles fizessem só um mea culpa e chegassem à conclusão que esta punição não foi eficaz", reclamou, na época, o então presidente Paulo Nobre.

Ponto punido. Celular absolvido

A comparação 2016 e 2017 também atinge a comissão técnica de Cuca. O treinador, no ano passado, foi punido por dois jogos pela utilização de um ponto eletrônico – depois, no pleno, o Palmeiras reduziu para um.

Na atual temporada, Cuquinha, irmão e auxiliar do treinador palmeirense, acabou enquadrado pelo tribunal por usar um celular no banco de reservas. O clube nem precisou recorrer ao pleno, pois os auditores optaram pela absolvição.

Absolvições de Tchê Tchê e Vitor Hugo

Outros dois casos são representativos para mostrar o peso que o departamento jurídico tirou dos tribunais. Ainda no Campeonato Paulista, competição sob jurisdição do TJD-SP, Vitor Hugo agrediu o corintiano Pablo com uma cotovelada no clássico disputado entre as duas equipes.

Assim como Willian, o defensor, hoje na Fiorentina, foi autuado por agressão, mas teve a pena desqualificada para jogada violenta. Foram duas partidas de castigo para Vitor Hugo, que também completou a punição com ações comunitárias determinadas pelo tribunal.

Já no Campeonato Brasileiro, Tchê Tchê recebeu cartão vermelho contra a Ponte Preta após entrevero com Renato Cajá. O ponte-pretano pegou dois jogos de suspensão, enquanto o meio-campista palmeirense acabou absolvido – e liberado, na época, para defender o atual campeão nacional no clássico contra o Corinthians.

Relembre outras vitórias palmeirenses no tribunal em 2017

Felipe Melo

Andres Stapff/Reuters
Felipe Melo viu o Palmeiras conseguir a redução da punição pela metade

O clube conseguiu desqualificar uma acusação de "ofensa à honra", após Felipe Melo acusar o árbitro de Cruzeiro x Palmeiras, pela Copa do Brasil, de ser "caseiro", para "conduta contrária à disciplina". De um mínimo de quatro partidas, o "Ousado" recebeu apenas um jogo de suspensão.

Copa Libertadores

Talvez o triunfo mais significativo veio longe da esfera do STJD. Felipe Melo, pela confusão com jogadores do Peñarol, recebeu o duro castigo de seis jogos fora na Copa Libertadores. A pena, após a apelação, caiu para apenas três partidas.

Justiça comum

O Palmeiras ainda colecionou vitórias fora da esfera esportiva no caso da divisão dos direitos federativos de Gabriel Jesus; contra o investidor Osorio Furlán (Valdivia); e Gilmar Rinaldi (comissão na venda de Vagner Love).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos