Cascudo, Palmeiras desafia tabu histórico em estreia na Libertadores

Do UOL, em São Paulo

  • Matilde Campodonico/AP

    Força física e vontade podem vencer técnica na Libertadores, alertam palmeirenses

    Força física e vontade podem vencer técnica na Libertadores, alertam palmeirenses

O Palmeiras inicia nesta quarta-feira (8) mais uma batalha pelo tão sonhado bi da Copa Libertadores. Diante do Atlético Tucumán, a equipe desafia a incômoda marca de só ter ganhado uma vez na competição atuando em terras argentinas. E faz tempo: em 1961, na vitória contra o Independiente por 2 a 0.

De lá para cá, foram nove encontros contra Boca Juniors, River Plate, Rosário Central, Vélez Sarsfield, Tigre e Estudiantes. Em nenhum deles os palmeirenses voltaram ao Brasil comemorando. O tabu será colocado em jogo a partir das 21h45 no acanhado estádio Monumental José Fierro, que tem como característica principal colocar a torcida quase dentro de campo.

Contra toda a pressão, seja ela exercida pelos locais ou pelos próprios palmeirenses pelo título, a aposta é colocar atletas rodados. Não só pela idade e pelo tempo de carreira, mas também por participações e conquistas na Libertadores. É o Palmeiras cascudo.

No elenco inscrito, são sete títulos conquistados: Edu Dracena e Arouca (2011, pelo Santos), Alecsandro (2010, pelo Internacional, e 2013, pelo Atlético Mineiro), Willian (2012, pelo Corinthians), Alejandro Guerra e Miguel Borja (2016, pelo Atlético Nacional).

"Ganhar a primeira partida vai ser importante, porque voltamos para casa tranquilos para conquistar os pontos em casa", apontou Edu Dracena.

Entre os que ainda não ganharam ainda estão atletas com passagens por seleção brasileira e Europa: Fernando Prass, Felipe Melo e Zé Roberto são bons exemplos. Isso sem contar jogadores relativamente jovens, mas com uma boa rodagem e até mesmo participação no fracasso alviverde em 2016, na Libertadores, como Dudu e Vitor Hugo.

"Quando a gente foi entender a Libertadores, a gente já estava praticamente desclassificado. A Libertadores nem sempre dá razão para a técnica. Às vezes é o time que mais divide, mais corre. Às vezes vamos jogar em campos precários..", explicou Zé Roberto.

O adversário desta noite vive situação bem diferente. É a primeira vez que participa da Libertadores, mas já chega com a fama pela epopeia que viveu para poder atuar no Equador antes de se credenciar à fase de grupos.

Em sua história, ainda há a curiosidade de ter conseguido unir de uma vez Corinthians e Palmeiras. Em janeiro de 1930, o time veio ao Brasil em busca de fortes amistosos. Na época, Palmeiras (ainda Palestra Itália) e Corinthians formavam a base da seleção paulista e toparam formar um só time para o encontro.

FICHA TÉCNICA
Atlético Tucumán x Palmeiras

Local: Estádio Monumental José Fierro, em San Miguel de Tucúman (ARG)
Data: 8 de março de 2017 (quarta-feira)
Hora: às 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Mario Díaz de Vivar (PAR)
Auxiliares: Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar (ambos do PAR)

Atlético Tucumán: Lucchetti; Di Plácido, Bianchi, Canuto e Evangelista; Aliendro, Acosta, Leyes e Barbona; Menéndez e Zampedre.
Técnico: Pablo Lavallén

Palmeiras: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Zé Roberto; Felipe Melo; Willian, Dudu, Guerra (Thiago Santos ou Michel Bastos) e Keno; Borja.
Técnico: Eduardo Baptista

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos