Felipe Melo dribla brigas, abafa racismo e celebra vitória com champanhe

Danilo Lavieri e José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo

Felipe Melo voltou a ser destaque do Palmeiras dentro e fora de campo. Além de comandar a marcação no 3 a 2 em cima do Peñarol, na última quarta-feira, o volante mostrou experiência para escapar das constantes provocações dos uruguaios e deixou de lado até mesmo um suposto caso de racismo. Clique aqui para ver os gols da vitória palmeirense.

Desde o primeiro minuto, o camisa 30 foi o principal alvo dos uruguaios para provocações ao lado de Dudu. Ele deixou de lado empurrões, dedo na cara e xingamentos dos mais variados. O atleta deixou o gramado afirmando que Gaston Rodríguez teria o chamado de macaco e reagiu de forma inusitada. Primeiro, com ironia.

"Tenho [de ter sangue frio], sobretudo pelo cara que fez o gol deles que me chamou de macaco. Durante muito tempo ficou me chamando de macaco. Acho que na TV dá para pegar. Sou preto mesmo, acho que ele deve ter algum problema, a mulher dele já deve ter traído ele com algum negão, alguma coisa assim", disparou ainda com a cabeça quente, após o apito final, em entrevista ao Sportv.

Depois, já mais calmo, disse que não pretendia levar o caso adiante, ao contrário do que se poderia imaginar. "Ele já veio, pediu desculpa e está tudo certo. Não estou pensando em denúncia agora. Mas se fosse o Felipe Melo de outros tempos já poderia até ter dado um socão", completou.

Pelo contrário. Em vez de estender a confusão, Felipe Melo preferiu reforçar a ideia de que as polêmicas e rixas com rivais acabam dentro de campo. "Vou chegar [em casa] e jogar Rainbow 6 [simulador de tiro no videogame]", afirmou ele aos risos. "E depois vou tomar vinho com a minha esposa. De repente champanhe...", afirmou.

Mais tarde, ele postou um vídeo no Instagram tomando champanhe ao lado de um amigo e ainda brincou com a palavra "ousadura" (sic), que disse após o duelo e gerou muitos comentários na internet. "Estou aqui com meu parceiro, um brinde à vitória e que venham muitas outras. Tomando uma champa com uma ousadura linda", disse.

A frase dita por Felipe Melo após o duelo foi a seguinte."Eu quero ver vocês falando amanhã que o Palmeiras, com um a menos, veio aqui, jogou e venceu. Batalhou até o fim. Não é para falar que o Palmeiras sofreu como foi no último jogo", disse ele já editando as manchetes da quinta-feira. "O time foi ousado e é dessa ousadura [sic] que a gente precisa para jogar a Libertadores", finalizou o volante, usando uma variação de seu bordão.

No Instagram, na manhã desta quinta-feira, Felipe Melo explicou a variação. "Aos professores de plantão que sabem muito. Aqui na minha casa é 'ousadura', e não ousadia. Óbvio que eu sei que ousadia é a forma certa, mas 'ousadura' é a palavra que eu uso para brincar aqui em casa. Ousadura neles", disse.

Provocação ao prefeito de SP

Nem o prefeito de São Paulo, João Dória, escapou da noite bem humorada de Felipe Melo. Torcedor do Santos, eliminado do Campeonato Paulista pela Ponte Preta, próxima adversária do Palmeiras, o político recebeu um 'abraço' carinhoso do volante palmeirense depois da partida da última quarta-feira no Allianz Parque.

"Próximo jogo nosso é contra a Ponte Preta, estamos já pensando na Ponte Preta. Será muito difícil, eliminou o Santos, queria até mandar um abraço para o Dória. Jogo não será fácil não", disse.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos