Com Felipe Melo expulso e confusões, Palmeiras perde do Cerro, mas avança

Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

  • Nelson Almeida/AFP

    Expulsão de Felipe Melo aos 3 minutos deixou o jogo difícil para o Palmeiras

    Expulsão de Felipe Melo aos 3 minutos deixou o jogo difícil para o Palmeiras

O que era para ser um jogo sem grandes riscos para o Palmeiras após a vitória fora de casa sobre o Cerro Porteño na partida de ida das oitavas de final da Libertadores, por 2 a 0, se transformou em uma batalha de nervos nesta quinta-feira (30), no Allianz Parque. Graças a uma expulsão de Felipe Melo logo aos 3 minutos, por uma entrada violenta em cima de Víctor Cáceres, o alviverde precisou jogar com um a menos praticamente o tempo inteiro e perdeu por 1 a 0, mas garantiu a classificação às quartas.

Assista aos melhores momentos de Palmeiras 0 x 1 Cerro Porteño

O jogo foi quente e teve outros momentos de tumulto. No final, já nos acréscimos, Deyverson também levou cartão vermelho por se envolver em confusão, assim como o paraguaio Marcos Cáceres. Dois gandulas também foram expulsos, e a partida terminou com clima muito tenso após 11 minutos de tempo extra.

Mesmo com a vantagem numérica, o Cerro só chegou ao gol "sem querer": no começo do segundo tempo, o lateral Arzamendia tentou cruzar e acabou mandando direto para as redes, contando com vacilo de Weverton. Os paraguaios dominaram a posse de bola, mas sofreram para criar chances claras diante de um Palmeiras organizado e empurrado pela torcida. Já o time brasileiro ainda teve boas oportunidades no contra-ataque, mas não converteu.

Com a sofrida classificação garantida, o Palmeiras vai enfrentar nas quartas de final o Colo Colo, do Chile, que eliminou o Corinthians na última quarta (29). O jogo de ida acontecerá em Santiago, enquanto a volta será no Allianz Parque.

O melhor: Willian

Ale Cabral/AGIF

O atacante correu muito na marcação para compensar a expulsão de Felipe Melo e fechou muito bem o lado direito. Além disso, não deixou de aparecer bem no ataque, criando chances perigosas no contragolpe. No segundo tempo, foi jogar como centroavante após Felipão sacar Borja e quase fez um golaço de fora da área, parando em grande defesa de Antony Silva. Pouco depois, saiu para a entrada de Deyverson.

O pior: Felipe Melo

Ale Cabral/AGIF

A atitude impensada do volante aos três minutos de jogo transformou o que deveria ser um jogo tranquilo em uma batalha tensa no Allianz Parque. Felipe dominou errado uma bola no campo de ataque e, na dividida com Víctor Cáceres, deixou as travas da chuteira com força no joelho do paraguaio. O juiz deu cartão amarelo a princípio, mas mudou para vermelho após ver Cáceres se contorcendo no chão e com um corte na perna. Em 36 jogos oficiais em 2018, Felipe Melo já tomou 20 cartões (18 amarelos e dois vermelhos).

Cerro domina a posse, mas sofre para criar

Mesmo com um jogador a mais, o Cerro Porteño sofreu muito para criar chances. O Palmeiras se fechou bem em duas linhas de quatro, deixando Borja mais à frente para atrapalhar a saída dos paraguaios. Com os volantes Palau e Víctor Cáceres circulando a bola de forma lenta e errando muitos passes, os visitantes não aproveitaram a superioridade numérica. Chances claras no primeiro tempo, só duas: primeiro Oscar Ruiz bateu torto após receber bom cruzamento da direita, e depois o centroavante Churín errou uma cabeçada na pequena área, jogando fraco nas mãos de Weverton.

Palmeiras marca bem e assusta no contra-ataque

NELSON ALMEIDA / AFP

O Palmeiras se desdobrou para superar a ausência de Felipe Melo desde o início do jogo e fez uma grande partida sem a bola. Fechando bem os espaços à frente da área e pressionando os jogadores do Cerro na hora certa, o time alviverde sofreu pouco atrás e ainda levou muito perigo em contra-ataques. Aos 26 minutos, Diogo Barbosa roubou a bola, arrancou e serviu Willian, mas o atacante preferiu cruzar para Borja em vez de chutar e acabou errando. Três minutos depois, o Cerro errou um passe bobo e proporcionou novo contragolpe; Borja serviu Willian, que bateu para boa defesa de Antony Silva.

Arbitragem irrita a torcida no Allianz

A torcida do Palmeiras já havia reclamado muito no lance da expulsão de Felipe Melo, e a falta de simpatia pelo juiz argentino Germán Delfino só aumentou a partir daí. A cada lance de dividida em que o árbitro não marcava falta para o time paulista, vinham os xingamentos das arquibancadas. O auge da hostilidade aconteceu quando Delfino discutiu com Felipão à beira do campo, após uma falta em cima de Diogo Barbosa. Um choque mais duro entre Moisés e o goleiro Silva na área também rendeu palavras nada amigáveis para o árbitro, que marcou falta a favor do Cerro Porteño no lance.

Jogador do Cerro desmaia e sai de ambulância

Reprodução/PremiereFC

Logo no começo do segundo tempo, um grande susto. O meia Rodrigo Rojas teve um choque de cabeças com o palmeirense Borja, caiu no gramado com a testa sangrando muito e perdeu a consciência por alguns instantes. Os jogadores do time paraguaio ficaram desesperados, e Rojas precisou deixar o campo de ambulância. Borja também sentiu na dividida, mas se recuperou rápido e seguiu normalmente na partida.

Cerro muda no intervalo e abre o placar com gol "espírita"

O técnico Fernando Jubero jogou o Cerro para frente no intervalo: sacou o volante Cáceres e colocou o veterano atacante Nelson Haedo Valdez, ex-jogador da seleção paraguaia. O time visitante passou a trocar passes com mais velocidade e empurrar mais o Palmeiras para trás. Mas o gol saiu de forma totalmente inusitada. O lateral Arzamendia recebeu pela esquerda e, sem ângulo, tentou o cruzamento, mas a bola acabou indo direto para o gol e surpreendeu Weverton. Foi o primeiro gol sofrido pelo Palmeiras desde a volta de Felipão, no nono jogo sob o comando da nova comissão técnica.

Felipão troca Borja por Thiago Santos

AP Photo/Andre Penner

Scolari respondeu ao gol do Cerro recuando ainda mais o Palmeiras: saiu Borja e entrou o volante Thiago Santos. O desenho alviverde continuou o mesmo, um 4-4-1, com Moisés indo para a ponta direita e Willian na frente. Mas o time passou a se defender ainda mais atrás, com o Cerro todo instalado no campo de ataque. A chance de empatar veio aos 22 minutos: após mais um contra-ataque, Willian bateu forte da entrada da área, mas Antony Silva fez grande defesa e jogou para escanteio. Aos 30 minutos, Felipão voltou a contar com um centroavante ao colocar Deyverson no lugar de Willian.

Jogo termina com confusão e mais expulsos

Já nos acréscimos, o clima esquentou de vez. Após Deyverson receber falta dura de Escobar, o atacante tentou inflamar a torcida, se envolveu em confusão com os jogadores do Cerro e acabou expulso. O zagueiro paraguaio Marcos Cáceres foi outro a receber o cartão vermelho, e dois gandulas do Allianz também foram mandados para fora pelo juiz argentino. Os minutos finais foram muito tensos, com disputas ríspidas e jogadores se estranhando em campo.

FICHA TÉCNICA

Palmeiras 0 x 1 Cerro Porteño

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 30/08/2018
Horário: 21h45 (de Brasília)
Público: 33.204
Renda: R$ 2.913.369,38
Árbitro: Germán Delfino (Argentina)
Assistentes: Gabriel Chade e Herman Maidana (Argentina)

Gol: Arzamendia, aos 11 minutos do 2º tempo
Cartões amarelos: Edu Dracena (Palmeiras); Churín, Jorge Rojas, Novick, Escobar e Palau (Cerro Porteño)
Cartões vermelhos: Felipe Melo e Deyverson (Palmeiras); Marcos Cáceres (Cerro Porteño)

Palmeiras: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Bruno Henrique e Felipe Melo; Willian (Deyverson), Moisés (Jean) e Dudu; Borja (Thiago Santos). Técnico: Luiz Felipe Scolari

Cerro Porteño: Antony Silva; Raúl Cáceres, Marcos Cáceres, Escobar e Arzamendia; Víctor Cáceres (Haedo Valdez) e Palau; Jorge Rojas (Benítez), Rodrigo Rojas (Novick) e Oscar Ruiz; Churín. Técnico: Fernando Jubero

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos