Thiago Silva falha, PSG empata com Napoli e terá "final" contra Liverpool

Do UOL, em São Paulo

O PSG saiu na frente e chegou a se animar com a possibilidade de assumir a liderança nesta terça (6), mas cedeu o empate ao Napoli por 1 a 1 e voltou a sair frustrado de um jogo da Liga dos Campeões. Thiago Silva falhou, Buffon cometeu pênalti e Neymar novamente não conseguiu conduzir o time à vitória.

Este é o segundo empate seguido dos franceses na fase atual; o primeiro havia sido contra o próprio Napoli, por 2 a 2, em outubro. Agora, o PSG terá de se preparar para o compromisso do dia 28 de novembro, no qual vai receber o Liverpool, líder do grupo C, em Paris, em uma partida que pode definir o restante de sua temporada.

A situação na tabela continua embolada. Mais cedo nesta terça-feira, em outro jogo válido pelo mesmo grupo, o Estrela Vermelha surpreendeu o Liverpool e venceu por 2 a 0. Neste momento, os ingleses e o Napoli têm seis pontos cada, o PSG tem cinco, e os sérvios têm quatro. Restam duas rodadas.

Quem foi bem: Mertens

O belga não marcou, mas foi um dos líderes da mudança de postura do Napoli no segundo tempo. Ele quase encobriu Buffon aos 7 e obrigou o goleiro a fazer bela defesa. No minuto seguinte, foi garçom de Callejón e viu o espanhol ser travado por Kehrer no momento do chute, que parecia ter endereço certo. A torcida italiana lamentará muito o fato de que Mertens saiu lesionado aos 40 da etapa final.

Quem foi mal: Thiago Silva

Ciro De Luca/Reuters

Se a responsabilidade pelo gol sofrido for dividida no vestiário do PSG, Thiago Silva e Buffon podem ser apontados como culpados. No momento em que os dois fizeram "sanduíche" com Callejón, o goleiro cometeu o pênalti que foi convertido por Insigne.

O erro do zagueiro talvez tenha sido maior que o do colega. Capitão, Thiago errou o domínio e pareceu não se comunicar com Buffon para definir quem pressionaria Callejón. Consequentemente, o goleiro não teve chance de tentar pegar a bola e acabou fazendo falta.

Ciro De Luca/Reuters

Se a bola tivesse passado direto até Callejón, sem a tentativa de corte de Thiago Silva, o jogador do Napoli teria ficado em posição irregular e a jogada teria de ser anulada por impedimento.

Neymar lança, Mbappé entorta rivais

Alessandro Bianchi/Reuters

O gol do PSG no fim do primeiro tempo foi feito por Bernat, que empurrou para a rede enquanto caía, mas a assinatura foi quase toda de Neymar e Mbappé. Com um lançamento digno de camisa 10, o brasileiro encontrou o francês, que entornou a zaga antes de cruzar para o espanhol marcar.

O potencial de Neymar como armador de jogadas apareceu em outras oportunidades. Aos 15 do primeiro tempo, o craque fez boa jogada e tocou de calcanhar para Meunier, que se enrolou, não viu que o camisa 10 já estava em posição muito irregular e tentou devolver a bola.

Pouco depois, aos 22, o brasileiro voltou a erguer a cabeça para criar. Desta vez, a exemplo do que houve na jogada do gol de Bernat, o lançamento também foi para Mbappé. O camisa 7 arriscou o chute e tirou tinta do travessão.

Napoli cria no primeiro tempo, mas cochila

O Napoli esteve relativamente sonolento e deu o gol ao PSG nos minutos finais do primeiro tempo, mesmo depois de a equipe italiana ter tido alguns lances promissores - em parte por mérito próprio, mas também por queda no ritmo do time francês. Aos 23, após cobrança de falta de Mario Rui, Mertens surgiu de trás e quase surpreendeu Buffon; aos 44, Insigne fez o giro com a bola no ar, foi aparentemente travado por Thiago Silva e viu a bola sair.

Cavani começa no banco

Em sua escalação inicial, Thomas Tuchel não apostou no que chamam de "lei do ex": Edinson Cavani não foi titular contra o Napoli, time que defendeu entre 2010 e 2013. A ausência do uruguaio fez com que Neymar se dividisse entre as funções de meia armador, que já vinha exercendo a pedido do técnico, e centroavante.

É evidente que Neymar não tem a estatura ou força física de um camisa 9 clássico, mas correu para estar presente na pequena área quase todas as vezes que a bola foi cruzada pelo alto no primeiro tempo. Em uma delas, Ospina interveio e impediu o brasileiro de alcançar a bola.

No segundo tempo, porém, o craque foi mais individualista e parou de se destacar. No desespero, Tuchel decidiu colocar Cavani em campo aos 32 minutos, no lugar de Di María. Não houve "lei do ex".

FICHA TÉCNICA
NAPOLI 1 X 1 PSG

Data e hora: 6 de novembro de 2018, às 18 horas
Local: San Paolo, em Nápoles (Itália)
Árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda)
Auxiliares: Sander van Roekel e Erwin Zeinstra (ambos da Holanda)
Cartões amarelos: Fabian Ruiz (Napoli); Mbappé, Kehrer, Verratti, Neymar (PSG)
Gols: Insigne, aos 16 minutos do segundo tempo (Napoli); Bernat, aos 46 do primeiro tempo (PSG)

NAPOLI: Ospina; Maksimovic (Hysaj), Albiol, Koulibaly e Mario Rui; Allan, Hamsik e Fabian Ruiz (Zielinski); Callejón, Mertens (Ounas) e Insigne
Técnico: Carlo Ancelotti

PSG: Buffon; Kehrer (Choupo-Moting), Thiago Silva, Marquinhos e Bernat; Draxler, Verratti, Meunier (Kimpembe) e Di María (Cavani); Mbappé e Neymar
Técnico: Thomas Tuchel

UOL Cursos Online

Todos os cursos