Topo

Paulista - 2019


Santos domina São Paulo, vence 1º clássico do Paulista e se mantém 100%

Siga o UOL Esporte no

Do UOL, em São Paulo

27/01/2019 18h59

O Santos é o único time com 100% de aproveitamento no Campeonato Paulista. Neste domingo (27), os comandados de Jorge Sampaoli dominaram e venceram o São Paulo no Estádio do Pacaembu por 2 a 0, em jogo válido pela terceira rodada. Luiz Felipe abriu o placar, e Derlis González ampliou para garantir a terceira vitória em três jogos do Peixe no campeonato.

O primeiro clássico do Estadual, que contava com as últimas duas equipes 100% no torneio, derrubou a invencibilidade tricolor. Diferentemente dos outros jogos, o ataque são-paulino não brilhou e pouco incomodou a meta de Vanderlei, protegida, dentre eles, por Felipe Aguilar, que fez sua estreia com a camisa santista.

Na próxima rodada do Paulistão, o Peixe enfrenta o Bragantino em Bragança Paulista. O jogo acontecerá na quinta-feira (31), às 19h15 (de Brasília). No mesmo dia, só que às 21h, o São Paulo recebe o Guarani no Pacaembu.

PVC opina sobre vitória do Santos sobre o São Paulo

UOL Esporte

O melhor: Diego Pituca

Diego Pituca iria dividir o posto de melhor do clássico com Tiago Volpi, que fez duas grandes defesas no primeiro tempo e evitou que o Santos fosse para os vestiários com uma vantagem maior. Não fosse a indecisão que custou no segundo gol do Peixe, o goleiro mereceria o destaque.

Já o volante foi perfeito. Controlou as ações no meio, foi o principal armador e deixou Soteldo e González com chances de marcar no primeiro tempo. Outro nome que merece menção é o de Luiz Felipe. O zagueiro ganhou praticamente todas as divididas, foi bem na saída de bola e anotou o gol que abriu o caminho do Peixe. 

O pior: Helinho "sente" clássico e vai mal

Helinho foi escalado como titular no primeiro clássico do Estadual neste domingo. E sentiu a pressão da partida. Apagado, tomou decisões erradas quando teve a bola, principalmente em contra-ataque, e esgotou a paciência de Jardine. Na volta para o segundo tempo, o jovem atleta deu lugar a Diego Souza.

Luiz Felipe abre o placar de cabeça

O Santos foi premiado com um gol no final do primeiro tempo. Melhor na primeira metade, abriu o placar pouco antes do intervalo. Após falta pela direita cobrada por Jean Mota, Luiz Felipe subiu sozinho, antes de Tiago Volpi, e desviou para as redes.

Volpi demora a sair e Derlis aproveita

O São Paulo tinha uma ação ofensiva, mas quem aproveitou foi o Peixe. Alison, que pegou a sobra da bola alçada na área, rapidamente lançou Derlis González em velocidade. O paraguaio aproveitou a indecisão de Tiago Volpi, chegou antes na bola, driblou o goleiro e ampliou. Na comemoração efusiva dos santistas, Sampaoli acabou invadindo o campo. João Paulo, goleiro reserva, recebeu amarelo.

Santos é intenso e domina 1º tempo

O primeiro tempo foi da equipe mandante. Mais ligado na partida e melhor postado taticamente, o Peixe pressionou a saída do rival, teve maior posse (64% a 36%, segundo informação da TV Globo) e viu Tiago Volpi fazer duas boas defesas antes de balançar as redes. Primeiro, em chute de Soteldo; depois, Jean Mota pegou sobra e encheu o pé, mas Volpi espalmou. Além disso, González recebeu lindo passe de Pituca, gingou para cima da zaga, mas foi travado na hora do chute.

O Tricolor, por sua vez, pouco assustou. A melhor chegada foi com uma cabeçada de Arboleda, que passou perto do gol. Vanderlei, que pouco trabalhou no período, apenas acompanhou com o olho.

Aguilar estreia em esquema com 3 zagueiros

Felipe Aguilar chegou ao Santos na semana passada e fez sua estreia neste domingo. Para promover a estreia do zagueiro, o técnico argentino sacou Jean Mota (ovacionado pela torcida na saída) e fez um esquema com três defensores. Assim, Victor Ferraz e Copete, que entrou no lugar de Orinho, adiantaram-se e compuseram o meio em um 3-5-2. Pouco exigido defensivamente, o colombiano cochilou em uma bola e foi salvo por Luiz Felipe, que barrou o contra-ataque são-paulino.

Peixe pressiona e quase marca com Soteldo

Ao melhor estilo Sampaoli de pensar futebol, o Peixe empurrava o São Paulo com troca de passes e zagueiros adiantados. Para se ter uma ideia, os defensores ficavam quase sempre próximos à linha do meio-campo, bem abertos e participavam da posse de bola - liberando os laterais.

Com maior domínio, então, os santistas por pouco não chegaram ao gol aos 17 minutos. Diego Pituca deixou um marcador para trás, arrancou e encontrou Soteldo nas costas da zaga. O venezuelano tocou na saída de Volpi, que fez uma grande defesa em dois tempos e evitou o pior.

Árbitro controla "clima quente" com cartões

Nenê penteava a bola e era marcado em cima por Alison. Ao tocar para trás, o camisa 10 são-paulino recebeu uma chegada, não gostou e foi cobrar. O volante santista, por sua vez, não arredou o pé. Quando a bola parou, o árbitro Vinicius Furlan deu bronca e advertiu verbalmente os atletas. Pouco depois, Reinaldo e Derlis González se encararem. Furlan, desta vez, preferiu dar cartão amarelo aos dois para conter os ânimos.

Jucilei completa 100 jogos pelo São Paulo

Divulgação/SPFC
Imagem: Divulgação/SPFC

Escalado para atuar ao lado de Hudson no meio-campo, Jucilei chegou à marca de 100 jogos com a camisa tricolor e recebeu homenagem antes do clássico. Raí, diretor-executivo de futebol do clube, entregou uma camisa com o número 100 ao volante.

Ficha técnica

Santos 2 x 0 São Paulo

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data e horário: 27 de janeiro de 2019, domingo, às 17h (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Furlan
Assistentes: Neuza Ines Back e Alex Ang Ribeiro
Cartões amarelos: Derlis González, Luiz Felipe, Diego Pituca, João Paulo (do banco), Copete e Carlos Sánchez (Santos); Hudson, Reinaldo, Arboleda e Bruno Alves (São Paulo)

Gols: Luiz Felipe, aos 45 minutos do primeiro tempo; Derlis González, aos 22 minutos da etapa final.

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Orinho (Copete); Diego Pituca, Alison, Carlos Sánchez e Jean Mota (Felipe Aguilar); Soteldo (Felippe Cardoso) e Derlis González.
Técnico: Jorge Sampaoli.

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Bruno Peres, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Hudson (Brenner) e Jucilei; Nenê (Liziero), Everton e Helinho (Diego Souza); Pablo.
Técnico: André Jardine.