De Messi e CR7 a brasileiro, veja quem a Fazenda da Espanha investiga

Do UOL, em São Paulo

  • Manu Fernandez/AP Photo

    Messi chegou a ser condenado a prisão por evasão fiscal na Espanha

    Messi chegou a ser condenado a prisão por evasão fiscal na Espanha

A notícia de que José Mourinho foi denunciado pela Procuradoria Provincial de Madri por fraude fiscal aumentou a lista de personalidades ligadas ao futebol investigadas pelo Fisco espanhol. Os processos já chegaram aos principais astros dos maiores clubes do país - Lionel Messi, do Barcelona, foi condenado, enquanto Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, tem audiência marcada para o fim de julho.

A lista de investigados tem o brasileiro Adriano, que jogou no Sevilla entre 2005 e 2010 e no Barcelona de 2010 a 2016. 

Veja a lista com quem já teve problemas com a Fazenda espanhola abaixo.

Reuters / Albert Gea
Reuters / Albert Gea

Astros com problemas

Maiores estrelas do Campeonato Espanhol, Messi, do Barcelona, e Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, têm problemas com a Fazenda do país. O argentino foi condenado em maio a 21 meses de prisão pela sonegação de 4,1 milhões de euros (pouco mais de R$ 15 milhões na cotação atual) em impostos. O jogador cumpre em liberdade porque a lei local dá esse direito para cidadãos sem antecedentes criminais com menos de dois anos de pena. O português, por sua vez, é acusado de sonegar 14,7 milhões de euros (R$ 54,3 milhões) e tem sua audiência marcada para julho.
EFE/Jorge Zapata
EFE/Jorge Zapata

Mais um condenado

Assim como Lionel Messi, Javier Mascherano, que também joga no Barcelona, foi condenado a prisão por fraude fiscal. O volante foi considerado culpado de sonegar 1,5 milhões de euros (pouco mais de R$ 5,52 milhões, em cotação atual) e pegou um ano de prisão. A exemplo do compatriota, vai cumpri-la em liberdade.
Michel Euler/AP Photo
Michel Euler/AP Photo

Argentino pode engrossar lista

Além de Messi e Mascherano, mais um argentino pode engrossar a lista de condenados a prisão na Espanha. Ángel di María, hoje no PSG, defendeu o Real Madrid entre 2010 e 2014 e é acusado de evadir cerca de 2 milhões de euros (aproximadamente R$ 7,3 milhões na cotação atual) entre 2012 e 2013. Segundo reportagem do jornal "Marca", ele já teria um acordo para cumprir a pena em liberdade. Di María é empresariado pelo grupo de Jorge Mendes, que também trabalha com Cristiano Ronaldo e José Mourinho, ambos investigados.
REUTERS/Tony Gentile
REUTERS/Tony Gentile

Brasileiro na mira

O lateral-esquerdo brasileiro Adriano, que jogou no Sevilla entre 2005 a 2010 e no Barcelona de 2010 a 2016, também teve de se defender de acusações de evasão fiscal. No fim de 2016, o jogador foi acusado de fraudar 646 mil euros (pouco menos de R$ 2,4 milhões, na cotação atual), mas afirmou que declarou seus impostos corretamente. Hoje, o defensor joga pelo Besiktas, da Turquia.
Andrew Yates/Reuters
Andrew Yates/Reuters

Chileno confessa e paga

Hoje jogador do Arsenal, Alexis Sánchez foi acusado de não declarar seus direitos de imagem em 2012 e 2013, anos em que defendia o Barcelona. O atacante chileno confessou e pagou aproximadamente um milhão de euros (pouco menos de R$ 3,7 milhões, na cotação atual) à Receita da Espanha.
Divulgação/Real Madrid
Divulgação/Real Madrid

Cadê a declaração?

De acordo com reportagem do jornal "Marca", Fábio Coentrão, lateral-esquerdo português que defende o Real Madrid desde 2011, nunca fez sua declaração de renda na Espanha. O defensor é acusado de evadir cerca de 1,3 milhões de euros (aproximadamente R$ 4,8 milhões na cotação atual) entre 2011 e 2013. Coentrão também
AFP PHOTO / LUIS ACOSTA
AFP PHOTO / LUIS ACOSTA

Tudo isso, Falcao?

O centroavante Falcao García, hoje no Monaco, também é alvo de acusações da Fazenda da Espanha. O colombiano, que defendeu o Atlético de Madri entre 2011 e 2013, teria evadido aproximadamente 5,7 milhões de euros (cerca de R$ 21 milhões na cotação atual).
Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Mais gente na lista

Samuel Eto'o e Ricardo Carvalho completam a lista de acusados formalmente de evasão fiscal pela Fazenda Espanhola. Andrés Iniesta, David Villa, Diego Costa, Filipe Luís, Gerard Piqué e Iker Casillas foram investigados, mas não indiciados.
AP Photo/Dave Thompson
AP Photo/Dave Thompson

Sobra até para treinador

Hoje treinador do Manchester United, José Mourinho é acusado de sonegar aproximadamente 3,3 milhões de euros (R$ 12 milhões na cotação atual) durante sua passagem pelo Real Madrid. O técnico trabalhou no clube espanhol entre 2010 e 2013 e tem o mesmo empresário de Cristiano Ronaldo. O agente também é suspeito de irregularidades fiscais.
Jack Taylor / AFP
Jack Taylor / AFP

Empresário em comum

Entre os acusados, seis têm a carreira gerida pelo mesmo empresário. Os portugueses José Mourinho, Cristiano Ronaldo, Fábio Coentrão e Ricardo Carvalho, o argentino Ángel di María e o colombiano Falcao García são clientes de Jorge Mendes, dono da Gestifute e também nascido em Portugal. Os cinco primeiros foram ligados ao Real Madrid, e o segundo ao Atlético de Madri.
Gerard Julien/AFP
Gerard Julien/AFP

Tem mais por vir?

Recentemente, a Receita espanhola solicitou documentos do "Football Leaks", investigação de um consórcio de veículos de mídia sobre movimentações financeiras no futebol, contendo supostas irregularidades de outros jogadores que atuam ou atuaram na Espanha. Estão na lista Gareth Bale, Gonzalo Higuaín, James Rodréguez, Karim Benzema, Luka Modric, Mesut Ozil, Pepe e Xavi Hernández, entre outros.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos