Abel se comove com apoio do Flu e pensa em volta rápida ao comando do time

Leo Burlá, Pedro Ivo Almeida e Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Nelson Perez/Fluminense FC

    Abel comandou treino sábado (29), antes da tragédia. E ele quer voltar logo

    Abel comandou treino sábado (29), antes da tragédia. E ele quer voltar logo

Como de costume, Abel Braga foi ao campo do Centro de Treinamento do Fluminense no último sábado (29) e comandou a atividade da então véspera de jogo contra a Ponte Preta. Final de treino, a caminho do aeroporto para pegar um voo para Campinas, a bomba: seu filho mais novo, João Pedro, havia falecido após cair da janela de seu apartamento no Leblon, zona sul do Rio de Janeiro. Luto, desespero. O treinador, bem como o mundo do futebol, entrou em estado de choque com a tragédia.

Nos primeiros momentos, relatou a amigos a dor profunda e disse não saber o que fazer da vida ao perder seu caçula. Passado o primeiro momento, o velório e o enterro, demonstrou uma força que surpreendia família e amigos próximos. Abel se tornou o porto seguro de sua esposa, a abalada Claudia Braga. Passou também a confortar todos ao seu redor.

E ainda que não tivesse nenhuma obrigação de pensar em seu futuro naquele momento, assim fez. Confessou aos mais íntimos que não ficaria muito tempo longe do trabalho, de seu time, de seus "garotos". Na tarde de domingo (30), admitiu que já pensava em comandar o time na próxima quarta-feira (2), no jogo contra o Sport, em Recife (PE). A decisão, claro, ainda não era definitiva. Mas a ideia amadurecia na cabeça.

E Abel dizia ter um motivo claro: retribuir tudo que elenco e diretoria fizeram por ele no momento mais duro na vida (veja mais aqui). O técnico dizia que não queria abandonar seu jovem elenco – que passou a madrugada de domingo no velório realizado no salão nobre da sede das Laranjeiras.

Mailson Santana/Fluminense/FC
Abel (e) ficou emocionado com apoio do presidente Pedro Abad (d) desde o início

O técnico sabe do luto, da dificuldade do momento, mas não pretende remoer a dor sozinho no apartamento do Leblon.

A decisão de retornar ao campo imediatamente, ainda que bem madura na cabeça de Abel, ainda não está 100% tomada. O treinador conversa com a esposa e quer a certeza que ela estará bem nesta volta dele ao trabalho. Um retorno no próximo fim de semana, em duelo contra o Atlético-GO, não está completamente descartado - ainda que não seja a tendência.

Paciente e sem qualquer tipo de pressão, o Fluminense aguarda. O estafe do futebol tricolor já sabe da intenção de Abel e não descarta que ele comande o treino em campo na terça-feira, já em Pernambuco. A presença do profissional no CT, durante a reapresentação da tarde desta segunda-feira (31), ainda é incerta.

A única certeza é que Abel, o presidente Pedro Abad e o elenco dificilmente ficarão muito tempo afastados. A união provocada por conta da tragédia espantou a dúvida sobre "o que fazer da vida" na cabeça do técnico. Ele agora apenas organiza os pensamentos para definir a data exata do retorno.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos