Alessandro e Carille dizem ter dado aval a retorno de Sheik no Corinthians

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Sheik visitou treinamento do Corinthians nesta terça-feira

    Sheik visitou treinamento do Corinthians nesta terça-feira

De acordo com o gerente de futebol Alessandro Nunes e o treinador Fábio Carille, que falaram em entrevista coletiva nesta terça-feira (16), a volta de Emerson Sheik ao Corinthians teve o aval de ambos, responsáveis pela área técnica. A direção corintiana confirma o vínculo válido até o fim de junho com o jogador de 39 anos.

Mais cedo, o UOL Esporte publicou que a contratação não foi discutida com a comissão do clube. Apesar das manifestações de Alessandro e Carille, o UOL mantém a informação original, de que Emerson Sheik foi contratado diretamente pelo presidente, que não consultou a comissão técnica ou o departamento de análise de desempenho.

"Nenhum atleta chega pelo departamento profissional sem aval técnico decisivo e respeitoso. Nenhum atleta, em 10 anos que estou no clube, sendo quatro na área administrativa, nenhum atleta foi inserido para nenhum treinador. As pessoas são muito profissionais nessa linha de conduta, desde que exista 'ok' do treinador e dos outros que aqui passaram. Não trazemos Sheik pelo que fez lá atrás. Existe sim um reconhecimento a tudo que tem e fez", disse Alessandro. 

"Estou aqui desde 2009, antes como auxiliar, e sempre participei de todas as contratações. Sempre fui consultado", comentou Carille. "Vou explicar bem o Emerson: fui a um jogo em Mangaratiba, ele manifestou o desejo de encerrar a carreira aqui e gostei da ideia. A gente precisava ouvir o lado diretivo, fizemos muitas reuniões antes de viajar para a Florida e foi discutido em todas as reuniões e a diretoria participou. Teve o meu aval, sim. Nunca escondi a amizade, sempre falei com ele, com Ralf, com Renato Augusto, Romarinho...ele manifestou a vontade lá, eu gostei da ideia, trouxe para a direção e começamos a discutir", completou o treinador. 

Perguntado sobre as possibilidades para uso do reforço, Carille disse que há três alternativas. "É um pouco cedo para falar. Vamos ver como o time se comporta nos primeiros jogos. Conheço muito bem o Emerson. Estou desde 2009, fiz parte das comissões com ele. É esperar o início do trabalho, ver onde se sente bem e não vou fugir da minha forma de jogar. Posso usar aberto, usar por dentro, no 4-2-3-1 perto do número 9. Ele me dá muitas alternativas. Vamos esperar o dia a dia para definir melhor", analisou. 

Na última temporada, depois de se desligar do Flamengo, Sheik manifestou interesse em voltar ao Corinthians. Entretanto, naquele momento, o clube rejeitou abrir negociações com o atacante, que acabaria na Ponte Preta. Na visão de Alessandro, o timing desta vez permitiu o avanço. "Estávamos vivenciando um momento positivo, bacana e produtivo. Pontuamos que não precisávamos agregar a vinda dele. Agora, logo depois, achamos que sim, é questão de momento", disse o gerente. "[estávamos] com o grupo muito definido e não tinha porque mexer no momento, então tudo isso pesou. Estamos muito felizes com a volta dele", acrescentou o treinador. 

Nesta terça-feira, Sheik visitou as instalações do CT Joaquim Grava e, nos próximos dias, assinará contrato até junho. A tendência é que seja apresentado na próxima semana. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos