Vaiado, em baixa e com titularidade ameaçada, Kazim fecha a cara e se cala

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

Quinze minutos do segundo tempo no clássico Corinthians e São Paulo. Júnior Dutra é chamado por Fábio Carille, interrompe o aquecimento e se dirige ao banco de reservas. É a senha para os torcedores alvinegros celebrarem. Alguns segundos se passam e há mais gritos no Pacaembu quando o painel indica a saída de Kazim no jogo marcado pela vitória alvinegra por 2 a 1 neste sábado.

A passagem acima é apenas mais um capítulo da má fase vivida pelo atacante turco, que começou a temporada 2018 com a difícil tarefa de fazer o torcedor esquecer o artilheiro Jô. Titular em três dos quatro jogos oficiais do ano, Kazim não conseguiu ir às redes e viu a posição de referência do ataque ficar ameaçada com a ascensão do recém-contratado Júnior Dutra.

Fora de campo, fechou-se, dando mostras claras de que não está satisfeito com a situação. Sempre extrovertido, Kazim mudou o comportamento. 

Nos últimos três jogos, por exemplo, contra São Caetano, Ferroviária e São Paulo, o atacante passou rapidamente pela zona mista do Pacaembu, sem falar com a imprensa. Só parou para falar com alguns torcedores, tirou fotos e deixou o local calado.

Marcello Zambrana/AGIF
Kazim começou o clássico com o São Paulo neste sábado entre os titulares

Nas redes sociais, Kazim deixou de postar fotos há alguns dias. A última publicação ocorreu no último dia 13, quando o Corinthians ainda estava na pré-temporada nos Estados Unidos. No mesmo dia, o jogador balançou a rede na derrota alvinegra por 4 a 2 para o PSV Eindhoven pela Florida Cup.

Júnior Dutra pede passagem

Mesmo sem ser um jogador de área e ter características mais adequadas aos lados do campo, Júnior Dutra virou uma opção para Carille na referência do ataque enquanto a diretoria ainda busca um camisa 9 - a contratação é aguardada pelo treinador corintiano.

Dutra, por sua vez, aproveitou bem a primeira chance que teve quando entrou no lugar de Kazim. No primeiro toque na bola, fez o segundo gol do Corinthians contra o São Caetano e, em seguida, participou ativamente do terceiro.

Titular diante da Ferroviária, recebeu mais apoio do torcedor que foi ao Pacaembu, embora não tenha feito uma grande partida. Nessa partida, Kazim não foi colocado em campo.

Marcello Zambrana/AGIF
Kazim lamenta em lance contra a Ponte

No clássico, Kazim ganhou mais uma oportunidade para começar entre os titulares. Após o jogo, Carille indicou que Dutra está à frente do turco e só não começou a partida por causa da parte física.

"Conversei com todos os jogadores, conversei muito com Júnior Dutra. Ele mesmo falou que não suportaria os 90 minutos. O que é melhor? Ele no começo ou no fim do ano? É um mistério. Precisamos ver o que é melhor. Então, optei pelo Kazim porque depois poderia terminar com o Júnior", explicou o treinador.

Apoio dos companheiros 

No dia seguinte à vitória corintiana sobre o São Caetano, Kazim ganhou o apoio público de Jadson. O meio-campista, na ocasião, afirmou que chegou a incentivar o atacante nos vestiários do Pacaembu logo após o triunfo por 4 a 0.

"Kazim é um cara muito querido por mim e pelo grupo. Amigo meu, torço muito por ele. Ele tem muita experiência, de bagagem internacional. É um cara muito rodado. Momentos difíceis todo mundo passa, tive uma conversa com ele no vestiário, falei para ele não abaixar a cabeça, que depois a bola começa a entrar. Falei para ele que passei por isso também, e que logo as coisas mudam", disse o camisa 10.

O Corinthians volta a campo somente daqui a oito dias. O time, que venceu a terceira partida seguida no Campeonato Paulista, enfrentará o Novorizontino fora de casa no domingo, dia 4.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos